TALENTO NOSSO: Cantor Geraldo Sá se apresenta em cruzeiros marítimos e divulga a cultura brasileira pelos sete mares

0
759

Os passageiros dos cruzeiros marítimos têm à disposição, além da gostosa sensação de liberdade em alto mar, infinitas opções de lazer, que vão desde um cassino e atividades esportivas até aulas variadas e mais de seis refeições por dia. Mas para quem gosta de boa música, há também os shows nos palcos do navio – e nas embarcações da chancela Princess, o repertório inclui o melhor da MPB. Tudo graças ao cantor brasileiro Geraldo Sá, morador de Pompano Beach, que é o crooner de uma orquestra que faz um tremendo sucesso nos cruzeiros que partem de Port Everglades (no sul da Flórida) para o Alaska ou Nova York.

Na compilação das músicas, Geraldinho incluiu sucessos da Bossa Nova, especialmente de mestres como Tom Jobim e Vinícius de Moraes. “As mais pedidas são Chega de Saudade, Wave e Garota de Ipanema”, destaca o mineiro de Belo Horizonte, que está há 22 anos na América. Mas o repertório tem ainda Frank Sinatra e Tony Bennett, além, é claro, de canções italianas e francesas. É isso mesmo, o brasileiro canta em vários idiomas, o que, aliás, ajuda a explicar o sucesso de Geraldinho. “Os comentários são sempre positivos, pois nossas apresentações são muito diversificadas”, conta o artista.

Além das críticas generosas dos passageiros e tripulantes, outro fator de grande satisfação para o brasileiro é a oportunidade de viajar por lugares diferentes. Ele já perdeu a conta, mas acredita que tenha visitado pelo menos 100 países, em especial as ilhas do Caribe. Entre tantos e belos pontos turísticos, ele destaca o Canal do Panamá (pela história e importância para os EUA), a ponte Golden Gate (San Francisco) e o Alaska (de natureza exuberante) como os mais surpreendentes.

Ele conta que, em virtude das viagens, às vezes passa meses longe de casa. Mesmo assim, não reclama: pelo contrário, diz que não se acostuma mais com a vida em terra firme e prefere viver no balanço dos transatlânticos. “É assim há quase 15 anos. Sou um privilegiado, pois faço o que gosto e ainda sou bem pago para isso”, admite Geraldinho, que já cantou também nos navios da Royal Caribbean e Carnival, entre outros.