Ucraniano é sentenciado à prisão após sequestro de filha brasileira

0
724

Alexander Levin levou Ieda, de dois anos, da Ucrânia para as Filipinas e fugiu sem deixar endereço para a babá

O ucraniano, naturalizado canadense, Alexander Levin, de 47 anos, foi sentenciado na quarta-feira (29) a 15 meses de prisão por ter sequestrado a própria filha, a brasileira Ieda Alexandra Levin, de 2 anos, no ano passado. Ele já está preso há 108 dias. O pai disse ao juiz que tentava punir mãe da menina por não aceitar ser sua amante, já que ele era casado e tem outros filhos no Canadá. Levin pediu clemência, mas o pedido não foi aceito.

Em corte Levin acusou a mãe da garota de tê-lo traído com outros homens e confirmou que sequestrou a filha por vingança. “Homens são mais sensíveis à traição, mais do que mulheres”, afirmou ele em sua defesa enquanto a esposa e os filhos ouviam a história pela primeira vez sentados no auditório.

Ele, sem advogado, discursou sobre a inaptidão das mulheres canadenses para o casamento e a fama da beleza sedutora das mulheres brasileiras. Levin negou que pensava em vender a filha e afirmou que o plano era mais tarde levar Oziene e a menina para outro país (não o Brasil ou Canadá) onde pudessem viver juntos com a menina. Em corte, durante depoimento, o ucraniano afirmou que teria outra filha com outra brasileira, mas os nomes não foram revelados assim como ele também não apresentou nenhuma prova.

A garota foi sequestrada pelo pai em junho do ano passado durante uma viagem de férias à Europa. Levin passou por três países com a menina e finalmente a deixou na casa de uma desconhecida nas Filipinas. Em outubro, a polícia internacional encontrou a brasileira de dois anos na casa de uma costureira, a garota foi devolvida à mãe, a tocantinense Oziene Vieira Barbosa, de 25 anos, dias depois.

A tocantinense, que atualmente está grávida do segundo filho com Levin, conheceu o ucraniano durante visita de negócios que ele fazia ao Brasil, quando ficou grávida da menina. Depois de vários convites para viagem, Oziene Vieira finalmente resolveu aceitar sair do Brasil com o ex-namorado. Isso aconteceu em junho do ano passado e, após passar por vários países, ao chegarem à Ucrânia, Levin pediu para ir ao supermercado com a menina e não retornou. Ele viajou até as Filipinas onde, em um mercado livre, encontrou uma mulher desconhecida e pediu para que ela cuidasse da menina enquanto ele resolveria problemas com a imigração. Em vez disso, ele voltou para o Canadá.