Universitário braso-americano quer trazer a experiência de Illinois para ajudar comunidade

0
868

Vivendo em Chicago, Jonathan Rodrigues encantou-se com a organização dos imigrantes de lá

Jonathan Rodrigues nasceu em Boston, onde morou por um bom tempo. Depois, mudou-se para Pompano Beach, onde reside sua família. Finalmente, mudou-se para Illinois depois de ter ganho uma bolsa de estudo e ter sido aceito na Universidade de Chicago, onde estuda Ciências Políticas.
A maioria dos jovens de 21 anos estaria exultante com uma oportunidade como a de Jonathan. Ele, porém, tem uma visão social mais abrangente e por isto engajou-se na luta pelos direitos dos imigrantes. Afinal, ele também vivencia esta situação por ser filho de brasileiros que trocaram o Brasil pelos EUA.
Estudando e morando em Illinois, Jonathan percebeu que a união realmente faz a força. Tanto que ele participa ativamente da ICIRR (Illinois Coalition for Immigration Refugee Rights), uma entidade que se preocupa em defender os direitos dos imigrantes e congrega 188 organizações somente dentro do estado.
Esta determinação dos imigrantes naquele estado realmente cativou Jonathan, que pretende replicar na Flórida o mesmo tipo de organização que existe atualmente em Illinois e em outros estados com tendências políticas mais liberais. Illinois foi o primeiro estado a sair do Programa Comunidades Seguras, um programa que assusta bastante os imigrantes. O projeto de lei do Dream Act estadual foi aprovado no Legislativo estadual em maio e tornou-se lei em 1º de agosto depois da assinatura do governador Pat Quinn, explicou Jonathan.
Apesar de os políticos de lá serem mais compreensivos em relação às causas sociais, o rapaz enfatizou que muita coisa é conseguida graças à luta e ao empenho dos imigrantes pela conquista de seus direitos: O que aprendi lá foi que comunidades organizadas conseguem obter vitórias expressivas. Tanto na causa geral, como é o caso de leis imigratórias, como também para causas específicas.

As comunidades mais presentes em Illinois são a polonesa, a mexicana e a chinesa. E o que deixa Jonathan ainda mais perplexo é o fato de o estado possuir 13% de imigrantes, os quais formam o contingente de 27% dos trabalhadores. Na Flórida, o percentual é mais representativo, porque 19% da população de nosso estado é formada por imigrantes.

Libertar o poder latente

Para mudar este panorama, Jonathan acredita ser preciso conscientizar-se e investir em três pilares: igrejas, empresas e políticos. Os imigrantes aqui devem saber que possuem o que chamamos de poder latente. É preciso libertar este poder. Foi o que fizemos com a ICIRR, onde 64 voluntários se alistaram para fazer este trabalho de maneira coordenada, de forma que sempre havia alguém disponível para dar assistência aos imigrantes através da Family Support Hotline, que oferece todo tipo de ajuda: jurídica, social e de cidadania, destacou o universitário.

Sobre os três pilares básicos, a importância deles é fundamental. As igrejas atuam como locais de aglutinação, doações e divulgação de informações; as empresas servem para arrecadar doações e também para disseminação de informações, enquanto os políticos atuam como caixa de ressonância da sociedade. Obama somente tomou esta medida depois de ver que estava perdendo apoio dos latinos nas pesquisas eleitorais, lembrou Jonathan. E isto pode ser feito ao entrar em contato com os parlamentares em todos os níveis.

Após se formar, Jonathan pretende retornar à Flórida, no próximo ano, com a missão de organizar os imigrantes daqui, particularmente os brasileiros, comunidade que ele considera um pouco medrosa para lutar pelos seus direitos. Agora chegou o momento de decidirmos o que queremos, porque os braso-americanos já formam uma comunidade consistente nos EUA, avaliou o universitário.

Para adiantar o trabalho, ele já fez contatos com algumas entidades que lutam pelo mesmo objetivo, como o Centro Comunitário Brasileiro (CCB), e coloca-se à disposição para ajudar no que for possível, mesmo à distância. Quem quiser contatá-lo, pode enviar um email para jrodrigues@chicago.edu.