Violência marca a travessia dos indocumentados pela fronteira dos EUA

0
794

A travessia da fronteira com o México e os Estados Unidos pelo condado de Brooks, no Texas, tem se mostrado uma das mais perigosas para os indocumentados. Para evitar, a barreira policial do controle de fronteira, os indocumentados usam terras particulares onde precisam atravessar um gasoduto. Essa semana, com a morte de uma jovem, provavelmente da guatemala, o número de óbitos este ano chegou a 44 somente em uma área do Texas.

Outra mulher comunicou aos oficiais que foi estuprada durante a viagem e outra ficou seriamente machucada quando foi empurrada de dentro de um carro em movimento durante uma perseguição policial.

A rede de gasoduto é conhecida como a ‘estrada dos imigrantes indocumentados”. A jovem de origem guatemalense foi encontrada morta próximo ao gasoduto, apesar de ter morrido 24h antes da chegada da polícia, seu corpo já havia sido devorado por animais da região. A mulher seria Martiza Beatriz, de 29 anos. De acordo com a polícia Texana o gasoduto é usado pelos imigrantes para orientálos na direção norte-sul (México-USA).

Em outro caso, a polícia de fronteira tentou barrar um veículo que furou um bloqueio. Durante a perseguição, uma mulher foi empurrada para fora do veículo e acabou sendo atropelada pelo mesmo.

Pelo menos outras 15 pessoas estavam dentro do veículo e acabaram fugindo e sendo perseguidos. Sete deles foram presos depois que o carro se chocou com uma cerca.

No Texas, um grupo de policiais oferecem suas horas de folga para ‘caçar’os imigrantes indocumentados na região de Brooks, Breitbart e Falfurrias. Os Border Brotherhood of Texas trabalham durante a noite para garantir a segurança na áreas rurais da região.