Xerife do Texas afirma que encontra corpos de imigrantes na fronteira ‘quase diariamente’

Dados do governo mostram que o ano de 2022 pode ser o mais mortal na fronteira do México com os EUA

0
704
Imigrante tenta atravessar o Rio Grande (Foto CBP)

O xerife que atua na região do Rio Grande, na fronteira do México com os Estados Unidos, Tom Schmerber disse à CNN que “encontra corpos de imigrantes quase diariamente”.

Schmerber disse que, no fim de semana, resgatou o corpo de uma criança de três anos, que morreu afogada no rio. Ele citou que é muito comum crianças e adultos morrerem afogados ao tentarem atravessar o rio. “Fico muito triste pelas famílias”, disse.

Na opinião do policial, o número de mortes tem crescido, pois mais imigrantes estão tentando fazer a perigosa travessia. “Eles se arriscam tentando fugir dos agentes no calor extremo e nos diversos perigos que existem na fronteira”.

A médica legista Corinne Stern disse que nunca esteve tão ocupada e que nunca viu tantas mortes na região como em 2022. Ela atua em 11 condados no Sul do Texas. “Até o momento, 218 pessoas imigrantes morreram tentando fazer a travessia. Em todo o ano passado, foram 196 mortes”.

A médica afirma que muitos corpos não são identificados e ficam no necrotério à espera das famílias. Se ninguém aparece, os corpos são enterrados como não identificados em um cemitério no condado de Maverick.

Desde 1º de outubro de 2021, quando começou o atual ano fiscal do governo federal, agentes da patrulha de fronteira resgataram cerca de 19 mil imigrantes. No ano fiscal anterior, foram 12.800 resgates.

No total, os foram apreendidos 1.82 milhão de imigrantes na fronteira sul, um recorde consecutivo no governo Joe Biden. Somente em julho, quase 200.000 detenções de migrantes foram registradas.