‘Zebras’ galopam na Copa América

0
715

Eliminações de Brasil, Argentina, Colômbia e Chile frustram os organizadores do torneio

As surpreendentes derrotas de Brasil e Argentina, nas séries de cobranças de pênaltis, frustraram as esperanças dos organizadores da Copa América, competição que vem sendo disputada exatamente na Argentina. Todos esperavam o encontro das duas principais potências futebolísticas da América do Sul na final marcada para o próximo domingo, 24 de julho. Pior ainda, as seleções foram eliminadas na fase de quartas de final.

Para dar sequência às “zebras”, a Colômbia foi derrotada pelo Peru por 2 a 0, na prorrogação, no sábado, e a Venezuela, sempre apontada como a pior seleção sul-americana, bateu o Chile, em tempo normal, e classificou-se para as semifinais. Agora, enfrentará o Paraguai, que venceu o Brasil, enquanto na outra semifinal Peru e Uruguai medirão forças.

O irônico é que o futebol de resultados foi premiado. O Uruguai passou praticamente a partida inteira defendendo-se, sobretudo depois de ficar com 10 jogadores, e tentando levar a decisão para os pênaltis. Foi recompensado, ao converter todas as cinco cobranças da série. A Argentina converteu quatro, mas desperdiçou uma cobrança, com o ex-corintiano e possível reforço do Corinthians Carlos Tevez chutando para a defesa de Fernando Muslera. Aliás, o goleiro uruguaio foi o nome do jogo fazendo excelentes defesas durante a partida e coroando com a defesa do pênalti.

O mesmo fenômeno ocorreu com Justo Villar. O goleiro paraguaio se destacou na vitória paraguaia e ainda pegou o chute de Thiago Silva da marca do pênalti. O zagueiro, por sinal, foi o único que conseguiu acertar o gol, porque os outros três cobradores mandaram a bola para fora: Elano, André Santos e Fred. Os paraguaios perderam a primeira cobrança, mas converteram as outras duas, vencendo a série por 2 a 0.

Agora, os torcedores cobram mudanças, mas a CBF já anunciou que Mano Menezes continuará à frente da seleção e deverá manter o trabalho de renovação iniciado por sua comissão técnica.

Até mesmo na final do Campeonato Mundial de Futebol Feminino houve surpresa. O Japão derrotou a favorita seleção americana na série de pênaltis e conquistou o título pela primeira vez em sua história.