A importância da cultura hispânica

0
11753

Este ano, Gina Rodriguez ganhou o Golden Globe como melhor atriz em uma série humorística de TV. No seu discurso de agradecimento, ela reconheceu que o prêmio serviria como um passo adiante no caminho de mostrar os também os hispânicos como heróis. É significativo o fato de Rodriguez ter escolhido o seu momento de fama e reconhecimento para falar sobre latinos, ainda que ela tenha nascido em Chicago e tenha aprendido o espanhol como segunda língua, porque isto abre uma porta para um debate mais amplo sobre a hispanidade e nossa responsabilidade am participar e apoiar a cultura latina.

Ser hispânico ou latino é uma qualidade específica: você é ou não é, queira ou não. Mas, embora não seja possível escolher ser hispânico, é possível escohar incorporar e adotar elementos da cultura correspondente. Para isto, talvez seja preciso inicialmente definir os termos associados, já que eles têm sido um pouco mal interpretados pelos meios de comunicação. Segundo a Real Academia Española, “hispano” (no original em espanhol) descreve o descendente dos habitantes de fala espanhola da antiga Hispânia, na Península Ibérica. Consequentemente, ser hispano-americano refere-se a cidadãos ou descendentes da América Espanhola, e ser latino-americano inclui os cidadãos ou descendentes de países da América Espanhola e ainda aqueles que falam português, francês e outras línguas derivadas do latim. Assim, o termo mais inclusivo que representa os países de origem é “latino”.

Como é evidente nessas definições, a língua é uma das formas básicas pelas quais alguém pode envolver-se com a cultura latina. Aprender e conservar nossas línguas significa ter acesso a um mundo de filmes, músicas e livros de conteúdos diferente do anglocentrado norte-americano que nos rodeia no dia a dia. Embora ouvir seja fundamental para aprender uma língua, ler é a chave para enriquecer e aprofundar o entendimento do povo e da cultura dos que falam uma determinada língua.

Desde Gabriel Garcia Marquez até João Guimarães Rosa, a literatura latina é rica em contos e aventuras apaixonantes, que refletem nossa cultura e maneira da ser. Além disso, a leitura é uma atividade que pode ser exercida em qualquer lugar, sem a necessidade de um interlocutor – ela depende apenas da decisão pessoal de ler.

Outra forma de envolver-se com a cultura latina é através das interações diárias. Coisas como decidir falar o espanhol ou o português em toda oportunidade que se apresente, especialmente em família, comer comidas típicas e participar de celebrações culturais, marcam a diferença entre a manutenção da nossa cultura para as gerações futuras ou a perda de sua assimilação.