Advogados de imigração alertam para possíveis fraudes de oportunistas

0
1484

Se você se enquadra nas novas leis, segure a ansiedade e procure com calma assistência jurídica

ANA PAULA FRANCO

Luz no fim do túnel ou balde de água fria? Para 5 milhões de imigrantes indocumentados que vivem nos Estados Unidos, as ordens executivas anunciadas pelo presidente Barack Obama na quinta-feira (20), foram a luz no fim do túnel e, pelo menos em parte, o fim da agonia que se arrasta há anos. Para os outros mais de 6 milhões que ficaram de fora, a medida foi um balde de água fria na esperança que essas pessoas tinham de ficar legais no país.

As ordens executivas priorizam a proteção às famílias – leia-se quem tem filhos americanos -, o combate à imigração ilegal nas fronteiras e a deportação de criminosos. As novas leis pemitem a alguns imigrantes que se qualifiquem a se submeterem a uma verificação de antecedentes e o pagamento de impostos para que permaneçam legalmente nos Estados Unidos sem medo de deportação.

O cenário está colocado, as medidas foram anunciadas e agora é hora de saber quem se qualifica ou não. Os especialistas são unânimes em afirmar que toda cautela é necessária nesta hora em que oportunistas irão aparecer querendo o dinheiro de quem não vê a hora de ter a permissão de trabalho e a driver licence nas mãos.

O advogado especializado em imigração Ludo Gardini alerta que é preciso ficar atento, já que não é possível fazer nenhum tipo de aplicação na imigração agora. “Infelizmente, terá sempre aqueles que irão acreditar nas pessoas erradas. O uso de advogado não é obrigatório, mas meu conselho é evitar fazer com o amigo, paralegal, notário e etc”.

Ele reforça que o advogado é fiscalizado pela Ordem dos Advogados do estado onde ele pratica, ou por um estado dentro dos EUA. por isso o advogado sempre terá mais cuidado do que um notário ou amigo que não tem nada a perder e por consequência o nível de cuidado e responsabilidade são mais baixos.

“No momento, não existe um formulário, então, muito cuidado ao pagar alguém para começar a fazer os papéis. Em caso de advogados, ele já poderia começar a juntar os documentos do cliente em uma pasta, bem como já começar a fazer as traduções de documentos que estão em português como certidões de nascimento, casamento e divórcio”.

Gardini afirma que os potenciais beneficiários já podem reunir alguns documentos que julgarem ser importantes. “O leitor que se enquadra dentro da ordem executiva, deverá providenciar documentos que possam estar no Brasil como certidões, providenciar as traduções dessas certidões, procurar saber e decidir se vai usar os serviços do advogado, buscar um contador, já juntar prova de residência de cinco anos e tentar solucionar qualquer pendência de corte criminal”, finaliza.

O advogado Alex Kapetan também avisa que todo cuidado é pouco. “Todos devem procurar a ajuda de profissionais qualificados e licenciados, e devem evitar a consulta somente com paralegais e não tentar o preenchimento dos papéis imigratórios sem ajuda profissional”.

Beneficiados comemoram
A catarinense Estefani Teff, que mora há muitos anos nos EUA, tem um filho de um ano nascido em território americano e está muito feliz com as medidas. “Conheço muita gente que será beneficiada. Meu marido é um deles. Nosso filho tem 1 ano e meio e só nos trouxe alegrias e essa e mais uma delas!”, disse.

Residente de Newark, Juliana Celestino é mineira de Ipatinga e não está cabendo em si de tanta felicidade. “Eu e o meu marido seremos beneficiados. Ele estava num programa para não ser deportado há dois anos e isso que o Obama acabou de fazer salvou a minha família. Através disso, vamos poder continuar unidos aqui, tenho 2 filhas americanas e vivo aqui há 10 anos”, comemora.

Fabiana da Silva também deixou seu depoimento de alegria, “Graças a Deus eu estou dentro, tenho 14 anos aqui, um filho de dois anos, entrei com visto e nenhum problema com a justiça americana”, disse.