Americano dono da Telexfree deve sair esta semana da cadeia em Rhode Island

0
517

Ele vai ter que usar tornozeleira eletrônica igual a usada pelos imigrantes indocumentados e teve que penhorar bens

James MerrilDA REDAÇÃO COM BOSTON GLOBE – James Merrill, o sócio americano da Telexfree, pode sair ainda esta semana da cadeia depois de passar cinco semanas em um centro de detenção em Rode Island. Seus advogados esperavam sua liberação até a noite de quinta-feira (19).

Eles usarem diversos argumentos, desde que ele nunca esteve preso, é um bom pai, e foi treinador voluntário do clube mirim da cidade onde mora, para convencer o juiz de que ele deveria ser solto e responder o processo de fraude bilionária em casa. A Telexfree teve seus negócios suspensos em abril e um interventor deve ser nomeado pela justiça americana para averiguar possíveis ressarcimentos às vítimas da pirâmide financeira.

Merrill teve que entregar o passaporte, vai ter que usar uma tornozeleira eletrônica (igual a usadas pelos imigrantes indocumentados) e deu como garantia a casa da família, a casa da irmã e de um amigo. Ao todo, ele penhorou $900 mil em bens.

O outro sócio, o brasileiro Carlos Wanzeler, está foragido. Seu paradeiro não é certo, mas acredita-se que esteja em Vitória (ES) onde a família dele mora. A esposa dele, Katia Wenzeler tentou fugir para o Brasil em maio, mas foi pega no aeroporto. Depois de passar 10 dias presa ela também foi solta e deve ficar nos EUA, onde é considerada uma ‘testemunha material’ da fraude da Telexfree.

Acordo com a justiça americana, impõe ainda que Merril não deve sair de casa entre das 8pm às 8am, e não poderá manter contato com pessoas envolvidas no negócio – inclusive possíveis vítimas. O juiz Timothy S. Hillman, da Corte do Distrito de Massachussetts, também impediu o empresário de deixar o estado, onde ele reside, sem autorização judicial.

Segundo Hillman, o fato de Merrill não ter tentado fugir antes de ser preso, como fez Wanzeler, e nem ter demonstrado nenhum comportamento de que estivesse tramando alguma fuga foi favorável ao executivo. Se condenado por fraude, Merrill pode passar 20 anos na cadeia. Wenzeler não pode ser extraditado para os EUA. Se for condenado onde mora, o brasileiro pode pegar no máximo dois anos de cadeia.

Telexfree
A Telexfree atuava no ramo de marketing multinível e se envolveu em polêmicas no Brasil e nos Estados Unidos. Acusados de promover esquema de pirâmide financeira, os donos pediram falência no dia 13 de abril, nos Estados Unidos. A empresa oferecia ganhos rápidos com a publicação de anúncios via internet de pacotes de telefonia VOIP.

Milhares de pessoas, entre brasileiros no Brasil e nos Estados Unidos, e outras vítimas ao redor do mundo, compravam cotas de participação e eram incentivados a atrair mais pessoas para o esquema. No Brasil, as atividades da empresa estavam suspensas desde 2013. Estima-se que a fraude lesou cerca de 700 mil pessoas e o rombo foi de $1 bilhão.