Americanos são acusados de contrabandear espécie rara de cobra brasileira

0
669

Da Redação, com ABC News – Agentes federais acusaram, na última semana, dois irmãos americanos de Utah de trazerem uma espécie rara de jiboia do Brasil. Os criadores de serpentes Jeremy Stone, de 39 anos, e Keri Stone, 34, foram acusados de contrabandearem a cobra. As autoridades disseram que os irmãos pagaram milhares de dólares para os administradores em um zoológico brasileiro para obter a rara espécie da serpente e relataram que a cobra tinha sido capturada na selva da Guiana.

A cobra tem uma mutação genética rara, chamada leucismo, e pode chegar a valer $1 milhão no mercado negro.

O advogado Larry Bakman, que representa Jeremy Stone, disse que seu cliente nega o crime e que aguarda para contestar as acusações em tribunal. “Até que eu veja o que eles têm, é difícil para mim comentar sobre as alegações”, disse Bakman, que lidou com vários outros casos de contrabando de animais.

A acusação afirma que as negociações com um zoológico brasileiro vêm de longa data. Os promotores dizem que Jeremy pagou a administradores de zoológico no Rio de Janeiro e trocou e-mails com eles sobre como obter a serpente de forma ilegal.

Em matéria veiculada pela TV Globo em outubro de 2013, Jeremy deu uma declaração: “É muito difícil descrever o carinho que sinto por essa cobra”, diz o americano. Ele adora exibir-se com o bicho em vídeos e fotos na internet. Mas prefere esconder o passado e o presente da cobra valiosíssima que hoje está desaparecida.

As respostas para o sumiço podem estar no Brasil. Em 2006, a cobrinha branca foi encontrada no meio da mata, no Rio de Janeiro, e levada para o Zoológico de Niterói. Thiago Muniz, que trabalhou no zoológico, questionou a administradora do zoológico sobre a serpente. “Ela informou que ia levar o animal para casa, e alguns meses depois nos foi informado que o animal veio a óbito”, conta Thiago. Em 2011, o zoológico foi fechado por maus-tratos aos animais.

Jeremy é um dos maiores criadores de serpentes dos Estados Unidos. Segundo as investigações, ele foi ao Rio em 2007 para negociar a compra da cobra com a gestora do zoológico. A transação teria sido concluída em 2009, quando Jeremy teria tirado o animal ilegalmente do Brasil pela fronteira de Roraima com a Guiana.

A prisão de Stone foi pedida pelas autoridades brasileiras. “O maior interesse que nós temos em relação a essa investigação é a repatriação do patrimônio genético nacional, que são as serpentes. Ele é um animal capturado na natureza, então pertence ao estado brasileiro”, finaliza Franco Perazzoni, delegado da Polícia Federal.

A jiboia rara, que seria a única no mundo com a pele toda branca e os olhos negros, pode ter sido vendida pela administradora do Zoológico de Niterói Giselda Candiotto que levou a cobra para casa. Ela disse que o animal morreu mas foram encontradas fotos e vídeos de Stone com a cobra na internet.