Anderson Silva desiste de luta contra Roy Jones Jr.

0
612

DA REDAÇÃO COM SPORTTV – Quem estava aguardando a superluta entre Anderson Silva e Roy Jones Jr. vai continuar esperando por tempo indeterminado. O UFC engavetou a luta. A notícia foi bem recebida pelo campeão brasileiro, que disse entender a decisão de negócios do UFC e afirmou que ele mesmo estava receoso sobre a luta. ‘Eu estava meio cabreiro a princípio’, disse ele sobre os chutes que teria que dar usando a perna machucada.

Anderson Silva ainda sonha com a superluta contra o boxeador Roy Jones Jr., ideia que vem alimentando há bastante tempo, mas agora já admite que ela dificilmente sairá do papel. Em recuperação da fratura na perna esquerda, sofrida na revanche contra Chris Weidman, o Spider concedeu entrevista em vídeo ao canal oficial do UFC Brasil no Youtube e “engavetou” o duelo de boxe.

“É um sonho que me acompanha desde muito tempo. Sempre quis fazer essa luta de boxe com o Roy Jones. É sonho que eu gostaria muito de realizar, mas o Dana (White, presidente do UFC) já se pronunciou, e o Lorenzo (Fertitta, dono da organização) também. Eu entendo, é um negócio, e para o negócio deles não é bom. Mas é meu sonho, um desejo pessoal que eu tinha e por enquanto fica engavetado”, afirmou.

O ex-campeão peso-médio do UFC disse que a recuperação está indo bem e disse, assim como já há havia feito na semana passada em entrevista ao Combate.com, que poderia voltar a lutar ainda este ano, mas não quer. “Com mais dois meses eu já estaria pronto para lutar este ano, mas estou tendo a oportunidade de ficar mais tempo com minha família, de me focar e trabalhar em cima dos meus projetos pessoais”, adiantou.

Anderson Silva, que voltou a treinar aos poucos, admitiu também que teve medo de dar os primeiros chutes após a lesão. “ Eu estava meio cabreiro a princípio, mas depois falei: “Ah, cara! Faço isso desde pequeno. Então, “vambora”, vamos chutar, vamos lá fazer o que tem que ser feito”. Com alegria. Tem que ter alegria. Independentemente de você estar lesionado ou não, tem que ter alegria para se recuperar, a força de vontade para continuar, e não pode desistir nunca.