Após Robocop, José Padilha estuda roteiro sobre mensalão

0
991

Da Redação com UOL – Após sua primeira experiência em Hollywood, José Padilha quer manter os pés no Brasil, pelo menos por enquanto. O filme Robocop, dirigido pelo brasileiro, que estreiou nos Estados Unidos no dia 12 de fevereiro no Brasil, no dia 21 de fevereiro, não correspondeu às expectativas na terra do Tio Sam, já nos primeiros dias foi desbancado pelo filme “The Lego Movie”. No Brasil, a as coisas foram melhores, e o remaque do original da década de 80 liderou as salas nas primeiras semanas.

Agora que a pior fase já passou, a estreia, José Padilha começa a revelar seus novos projetos para 2014. Entre seus próximos trabalhos, o diretor brasileiro estuda um roteiro sobre o julgamento do mensalão, outro sobre o lutador de jiu-jitsu Rickson Gracie e um longa a ser filmado na tríplice fronteira (Brasil-Argentina-Paraguai), com roteiro de Nick Schenk, de “Gran Torino” (2008).

Neste trabalho, Padilha deve retomar a parceria de “Tropa de Elite” com Wagner Moura. Para a produção, ele adianta que já recebeu propostas de estúdios americanos. “A gente tem propostas de estúdios americanos para entrar no filme, porque ele foi desenvolvido independentemente”, conta.

Sobre o projeto na tríplice fronteir, o cineasta adiantou que o roteiro é baseado em quatro personagens. Um deles é um brasileiro ‘formiguinha’ que trabalha para o contrabando; o outro é um americano do DEA `Drug Enforcement Administration`; há também um personagem feminino que faz parte serviço secreto israelense e, por último, um traficante colombiano expulso do tráfico.

Além desse projeto, o diretor ainda estuda outro tarabalho, o roteiro para um filme de ficção científica para a Warner Bros. norte-americana e outro para o Netflix, relacionado à influencia americana na política antidrogas na época do traficante colombiano Pablo Escobar.