As aventuras de um americano na Copa

0
559

Warren Strifling viaja para o Brasil nesta sexta-feira e conta um pouco da sua expectativa para o AcheiUSA

Warren StriflingO AcheiUSA perguntou a um americano que está indo para a Copa do Mundo no Brasil nesta sexta-feira (20) o que ele espera encontrar. Quais são as expectativas, se ele teme algum tipo de falta de segurança e de infraestrutura e o que ele, de fato espera encontrar. Warren Strifling, tem 38 anos, natural da Carolina do Sul, mora em Miami e trabalha como publicitário. Ele irá viajar acompanhado da amiga brasileira Carla Prado, corretora de imóveis, que também vive em Miami e está ansiosa por “ciceronear” um americano no Brasil. Eles desembarcam primeiro em São Paulo, depois seguem para Natal (RN) e depois irão assistir a grande final do evento no Rio do Janeiro.

Warren afirma que está muito animado para a viagem e disse que os recentes protestos e notícias sobre gastos excessivos com os preparativos para a Copa do Mundo no Brasil em nada abalaram sua vontade de ir. “Eu não poderia imaginar um país mais emblemático para assistir uma Copa do Mundo. Estou muito animado”, disse o americano.

Para ele, a Copa é o único evento global em que as pessoas de todos os níveis sociais em todas as partes do mundo podem assistir e torcer. “Estar lá neste momento será incrível. Tive muita sorte de assistir aos jogos de 2010 na África do Sul e foi uma experiência inesquecível. Acho que essa será ainda melhor”.

Confira abaixo a entrevista:

AcheiUSA: O que você espera encontrar nesta Copa no Brasil?
Warren Strifling: A emoção e a paixão que o futebol traz para os fãs juntamente com a magnitude e a importância do esporte no Brasil, sem dúvida, produzem uma atmosfera incrível, o que já pode ser observado nesta Copa. Os brasileiros são conhecidos em todo o mundo por serem um povo hospitaleiro e acolhedor. Eles estão prontos para mostrarem ao mundo porque eles têm tanto orgulho de serem brasileiros.

AU: Quais cidades irá visitar?
WS: Estaremos em São Paulo, Rio de Janeiro e Natal. Vamos também passar por Búzios. Estarei acompanhado de uma brasileira que conhece as melhores praias, bares e restaurantes, já que ela tem amigos em todo o país!

AU: Você teme algum problema como falta de segurança ou infraestrutura?
WS: Eu não estou tão preocupado com a violência e nem com problemas de infraestrutura. Acho que as pessoas que irão para a Copa não são turistas, são torcedores e estão lá para para assistir futebol e celebrar, duas coisas que o Brasil sabe fazer muito bem. Acho que as pessoas irão esquecer todos os problemas de infraestrutura que em qualquer grande evento pode ocorrer. Em relação à violência no Brasil, eu acho que enquanto você não faz de você um alvo, a possibilidade de algo ruim acontecer é pequena. Há, claro, sempre a possibilidade de simplesmente estar no lugar errado na hora errada e ser roubado, mas isso em qualquer país. Acredito que o risco é baixo o suficiente para justificar ser um turista no Brasil, é apenas algo que você tem que tentar evitar para desfrutar desta oportunidade únca.

Já fui ao Brasil a trabalho, mas nunca por tantos dias. Estou muito ansioso e estou tentando reduzir as expectativas, mas está difícil.Tenho certeza que será uma viagem fantástica e contarei tudo para os leitores do AcheiUSA na volta!