Até que enfim! Acabou a recessão nos EUA

0
852

Depois de um ano no vermelho, PIB do país cresce 3,5%

Foram quatro trimestres de perdas, mas finalmente os Estados Unidos não estão mais em recessão: a economia do país cresceu pela primeira vez desde o segundo trimestre de 2008 e subiu acima do esperado, a uma taxa anual ajustada de 3,5% entre julho e setembro. Os grandes responsáveis pela boa notícia foram o consumo e o aumento das exportações.

Com isso, os EUA finalmente saíram da chamada recessão técnica, que acontece quando há o registro de dois trimestres consecutivos de queda no Produto Interno Bruto. Segundo analistas, este foi o período recessivo mais longo desde a Grande Depressão, na década de 30. A preocupação, agora, é saber se o fortalecimento do cenário financeiro continuará apoiando o desempenho econômico do país no quarto trimestre do ano, mesmo com o desemprego ainda em alta.

Nesse sentido, em mais um indício da recuperação da economia do país, o número de trabalhadores norte-americanos pedindo auxílio-desemprego diminuiu em mil na semana passada. Veja a seguir a opinião e a expectativa de membros de nossa comunidade sobre os resultados da economia dos EUA.

Os efeitos da retomada

Barril do petróleo passa de 80 dólares
Os preços do petróleo voltaram para o patamar acima de 80 dólares o barril. O estímulo veio a partir da alta do Produto Interno Bruto (PIB) americano, que embute expectativas também de retomada do consumo de combustíveis e outros derivados de óleo cru. A alta corrige as perdas dos últimos dias, mas, para uma trajetória sustentável de valorização do produto, o mercado avalia que serão necessários números que confirmem a recuperação da demanda por petróleo. Por enquanto, o segmento apresenta fraqueza, com expansão de reservas e consumo baixo, conforme relatório apresentado pelo departamento de Energia dos EUA.

Investidores de Wall Street de bom humor
O índice Dow Jones Industrial, o principal de Wall Street, fechou em alta de mais de 2% (para 9.962,58, o melhor resultado em três meses) graças à notícia de que a economia dos Estados Unidos cresceu no último trimestre depois de um ano de quedas. Os investidores receberam com euforia os cálculos provisórios do Departamento de Comércio americano relativos ao comportamento do Produto Interno Bruto (PIB) no trimestre passado. O panorama deixou a bolsa em terreno positivo desde sua abertura.

“O resultado do PIB é animador e sinaliza que a economia está melhorando, mas deve ser visto dentro de um cotexto. O crescimento foi de 3,5% em relação ao trimestre passado, mas ainda está muito aquém dos números de antes da recessão. Portanto, é bom lembrar que uma andorinha só não faz verão. Infelizmente, o índice de desemprego ainda é muito grande e deve passar dos 10% até o final de 2010. Certos segmentos, como construção civil e a indústria automobilística, ainda estão muito estagnados e historicamente são fundamentais na retomada do crescimento.”

Max Whitney, advogado, tem escritório em Deerfield Beach

“É claro que a notícia do crescimento da economia traz esperança para todos nós. A crise prejudicou muito os negócios, especialmente entre os imigrantes, e nos últimos meses posso dizer que muitos só conseguiram ‘sobreviver’. No entanto, com o fim da recessão, acredito que muita coisa vai mudar. Um preceito bíblico diz que o vento não sopra sempre para o mesmo lado e quero crer que a comunidade tenha se preparado para este momento da virada e aproveite bem esta nova onda.”

Nelson Chaves, empresário, é dono da Star Shutters, em Pompano Beach