Ativistas organizam manifestações de apoio às ordens executivas

0
456

Organizações de apoio aos imigrantes indocumentados fizeram manifestações em várias cidades na terça-feira (20), véspera do dia previsto para a entrada em vigor das ordens executivas imigratórias do presidente Obama, suspensas por uma medida cautelar emitida por um juiz do Texas. O governo apelou em outra corte, e caso ainda está pendente.

“Enquanto isso, seguimos trabalhando,” disse Juan Gutierrez, ativista pela causa imigrante, ao site da TV hispânica Univision. Procuramos nos manter ocupados nesse momento de compasso de esperra. Não estamos calados nem tristes, estamos ativos e firmes no nosso propósito,” completou Gutierrez.

Em Chicago, as manifestações começaram já na segunda-feira (19). “Ativistas de organizações pró-imigrantes se reuniram com o deputado Luis Gutiérrez (D-Ill.) para falar sobre as ordens executivas e de como devemos nos preparara para elas,” disse Emma Lozano, do movimento Famílias Latinas Unidas.

“Não baixamos a guarda e não vamos nos render. Estamos seguros de que a corte vai decidir a favor da ação executiva e estamos preparando nossa gente para isso,” acrescentou.

Em Miami, a organização Coalizão Imigrante da Flórida preparou ações na comunidade para pedir às autoridades municipais e estaduais que deem apoio à iniciatica do presidente, segundo disse Natalia Jaramillo, diretora de comunicação da entidade.

“Diremos também aos que a impediram que eles estão equivocados, e que a comunidade imigrante necessita de uma proteção contra as deportações. Nossos imigrantes também têm filhos americanos,” disse a ativista.

A Flórida é um dos 26 estados que entraram com um pedido contra a ordem executiva presidencial, e que foi aceito por um juiz texano.
Na eleicção passada Obama obteve 70% do voto latino, que foi às urnas em grande parte por causa da promessa de uma reforma imigratória. Sem o apoio latino, a conquista da Casa Branca é praticamente impossível.

No dia 17 de abril a Corte Federal de Apelações do 5th Circuit, em New Orleans, ouviu os argumentos do governo a favor das medidas e pela derrubada da medida cautelar emitida pelo juiz do Texas. O tribunal, composto por três juízes, ainda não chegou a uma decisão sobre o caso.

Em junho haverá uma nova audiência, desta vez para ouvir os argumentos do governo no processo integral movido pelos estados contra as ordens executivas.

A Casa Branca já assinalou que em caso de derrota levará a questão até a Suprema Corte.