Aumento nas contas de energia pesa no bolso dos consumidores

0
368

De acordo com projeções da FPL, custo do quilowatt/hora ficará cerca de 20% mais caro

O aumento nas contas de energia dos moradores da Florida já havia sido anunciado pela FPL, mas a má notícia é que ele vem em dose dupla. De acordo com a companhia de luz do estado, os consumidores terão os valores dos pagamentos mensais majorados em 16%, em doses homeopáticas: o primeiro reajuste acontece já em agosto deste ano (8%) e o segundo em janeiro de 2009 (mais 8%).
A medida foi regularizada pela comissão que trata dos serviços públicos na Flórida no dia 1º de julho e vai servir para que a FPL (Florida Power & Light) consiga cobrir as despesas extras, na ordem de 746 milhões de dólares, causadas pelos aumentos sucessivos nos combustíveis. A idéia da empresa era de que o aumento fosse estabelecido de uma única vez, mas a proposta foi rejeitada pelos commissioners. Com os novos valores, o custo de mil kilowatt-horas de energia pulará de 102,63 dólares para 110,77 num primeiro momento e, em 2009, para 118,42.

Moradores da Flórida manifestaram sua indignação com o aumento: alguns comerciantes e outras autoridades disseram que o reajuste trará muitos prejuízos para a economia do estado. Jaime Torrens, administrador das escolas no condado de Miami-Dade, disse estar chocado com a medida da FPL e revelou que muitas instituições públicas precisaram ser fechadas durante o verão em função do corte de verbas e adequação ao orçamento. “A situação está traumática”, disse Torrens, acrescentando que o aumento só vai piorar o panorama.
No site do jornal Sun-Sentinel, 81% dos leitores criticaram o reajuste. “Nós entendemos que a decisão é difícil para os consumidores e nós, da empresa, detestamos ter que fazer isso, mas o alto preço dos combustíveis nos obrigou a solicitar o aumento”, tentou justificar Mayco Villafana, da FPL.

Além da majoração, os clientes também verão uma nova taxa ser incorporada nas contas de energia, no valor de 2,51 dólares, a partir de janeiro de 2009, referente aos custos com as obras das novas usinas nucleares. E outro acréscimo, em junho de 2009, de 1,39 dólar, para ajudar o pagamento de um novo gerador de gás natural em Loxahatchee. Com tudo isso, o preço de mil quilowatt/hora de energia custará aos consumidores exatos 122,32 dentro de um ano, ou seja, cerca de 20% de aumento.