Austrália também endurece política de imigração

0
553

País quer atrair somente estrangeiros com qualificação e medida prejudica fluxo de brasileiros

Apesar de estar localizada do outro lado do mundo em relação ao Brasil, a Austrália sempre atraiu imigrantes brasileiros. Isso porque o país era benevolente em relação aos indocumentos, mas agora o governo local anunciou que vai mudar as regras de concessão de residência a imigrantes, o que certamente vai afetar o fluxo de estrangeiros, inclusive brasileiros.

A Austrália permitia a ‘importação’ de profissionais para vários setores da sociedade, em especial para as profissões em falta no país. Os imigrantes podiam se candidatar às vagas e, simultaneamente, à residência permanente. No entanto, o ministro da Imigração australiano, Chris Evans, esta política será abolida e o governo vai buscar apenas estrangeiros com alta qualificação profissional. “Temos dezenas de milhares de estudantes internacionais em cursos de formação de chefs de cozinha, contadores e cabeleireiros porque não tínhamos pessoas suficientes nestas áreas. E isso permitiu que muitos imigrantes conseguissem a residência permanente. Só que nossas prioridades agora são médicos, enfermeiras, engenheiros e profissionais da mineração”, explicou o ministro.

A mudança de política se junta a outras medidas introduzidas recentemente e que marcam um endurecimento na política de imigração do país. Desde o final do ano passado, o governo passou a fazer novas exigências para a concessão de vistos a estudantes estrangeiros. A renda mínima que um estudante tem que comprovar através de extratos bancários do seu país de origem praticamente dobrou. Ao solicitar o visto nas representações consulares australianas, além de apresentar os extratos bancários, os estudantes têm que apresentar documentos como matrícula em universidade ou comprovante de trabalho fixo, para provar que tem vínculo com o país de origem e condições financeiras de se sustentar na Austrália. A renda mínima exigida é em torno de mil e quinhentos dólares por mês.

O Brasil é o sexto país que mais envia estudantes anualmente para a Austrália, atrás da Índia, China, Nepal, Coreia do Sul e Tailândia, respectivamente. Segundo dados do Departamento de Imigração, no último ano 12 mil brasileiros foram estudar na Austrália. No mesmo período, houve um aumento de 20% no número de pedidos de visto por brasileiros rejeitados por embaixadas e consulados australianos.
“Detectamos um alto índice de fraudes nas documentações submetidas por cidadãos de países como Brasil, Índia e Paquistão”, confirmou Sandi Logan, do Departamento de Imigração australiano.