Barack Obama fala sobre Economia na FAU

0
526

Em sua visita à Florida Atlantic University, ele enfatizou a questão da justiça social no país

O presidente Barack Obama passou a terça-feira passada (10) nos condados de Palm Beach e Broward, coletando dinheiro para sua campanha de reeleição com o apoio de correligionários. Entretanto, o ponto alto da visita, sem dúvida, foi sua palestra no auditório da Florida Atlantic University (FAU), onde ele defendeu um aumento de imposto para os mais ricos do país.

Publicamos abaixo algumas declarações de Obama feitas durante a palestra na FAU:

Gostaria de perguntar a vocês: qual é a melhor maneira de fortalecer nossa economia? Dando $150,000 de alívio de impostos para cada milionário e bilionário do país? Ou fazer investimentos em educação e pesquisas e cuidados com a saúde e nossos veteranos?

Agora, a divisão de renda para os que compõem o 1% dos mais ricos subiu a níveis somente vistos nos anos 20 em comparação ao resto da população. E aquelas mesmas pessoas ainda estão pagando impostos com as taxas mais baixas dos últimos 50 anos. Vocês já devem ter ouvido isto, mas Warren Buffett está pagando um imposto de renda mais baixo do que sua secretária.

Isto está errado. Não é justo. É tempo de escolhermos para qual direção queremos seguir como nação. Queremos manter o alívio dos impostos para americanos mais ricos como eu, ou Warren Buffett, ou Bill Gates pessoas que não precisam deles e nunca pediram por eles? Ou queremos manter o investimento em coisas que farão nossa economia crescer e nos manter seguros? Esta é a escolha.

Eu disse a vocês de que lado estou. Agora é hora dos membros do Congresso fazerem o mesmo. Nas próximas semanas, eles votarão alguma coisa chamada Regra Buffett: Se você faz mais do que $1 milhão anualmente, você deve pagar no mínimo a mesma porcentagem de sua renda como pagam as famílias da classe média. Por outro lado, se você faz menos do que $250,000 anualmente como ocorre com 98 por cento das famílias americanas seus impostos não devem subir. Simples assim.

Estes investimentos em coisas como educação e pesquisa e saúde não fazem parte de um esquema para redistribuir a riqueza de um grupo para outro. Eles vêm sendo feitos por democratas e republicanos há gerações porque beneficiam todos nós, e levam a um crescimento econômico forte e durável.

Se você está aqui na FAU porque recebeu uma ajuda financeira ou um empréstimo estudantil ou uma bolsa de estudo, que é como fui capaz de ir para a universidade, isto não beneficia apenas você. Beneficia a companhia que pode lucrar com a capacidade adquirida aqui.
Se você tornar-se o próximo Steve Jobs, ou descobrir um avanço médico, pense sobre todas as pessoas cujas vidas você ajudará a mudar para melhor.

Quando garantimos segurança básica para os idosos ou doentes ou para aqueles que estão ativamente procurando empregos, isto não nos faz mas fracos. O que nos torna fracos é quando poucos americanos podem comprar os produtos que nossas empresas estão vendendo, ou começar seu próprio negócio. O que leva toda a ecnomia para baixo é a crescente separação entre os ultra ricos e todos todos os outros.

Neste país, a prosperidade nunca dependeu de uma minoria rica. A prosperidade sempre veio de uma forte e crescente classe média. Assim é como uma geração que foi para a universidade com programas sociais “como foi o caso de meu avô” ajudou a construir a economia mais próspera que o mundo já conheceu. Isto é o motivo pelo qual um CEO como Henry Ford fez um ponto ao pagar aos seus trabalhadores salários decentes para que eles pudeseem comprar os carros que eles fabricavam. A América não é sobre algumas pessoas indo bem. É sobre dar a todos a chance de ir bem.