“Barão do petróleo” nos Estados Unidos terá de pagar $1 bilhão à ex-mulher

0
852

Um juiz de Oklahoma ordenou na segunda-feira (10) que o empresário Harold Hamm, tido como um barão do petróleo nos Estados Unidos, pague quase $1 bilhão em uma sentença de divórcio. No julgamento, de um dos divórcios mais caros da história dos EUA, o juiz Howard Haralson determinou que Hamm, 68, pague $995,5 milhões à sua ex-mulher, Sue Ann, 58.

Se recebido por Sue, o valor a colocará entre as 100 mulheres mais ricas dos Estados Unidos, segundo o ranking da revista Forbes, mas ainda assim, é muito menor do que os advogados dela pedem. Sue ainda pode recorrer. A decisão foi tomada após um julgamento que durou mais de nove semanas e terminou no último mês.

O empresário é uma das 50 pessoas mais ricas do mundo. Ele criou a companhia Continental Resources em 1967, duas décadas antes de os dois se casarem. Porém, nos últimos anos, a companhia quintuplicou o seu valor, somando mais de $17 bilhões, de acordo com análise econômica realizada pelos advogados de Sue.

Assim, a briga judicial opõe, de um lado, o magnata do petróleo, que afirma que esse valor foi adquirido por pura sorte. Do outro, deixa a ex-mulher, que afirma que a fortuna é resultado da sabedoria do marido. Os Hamm nunca assinaram um acordo pré-nupcial e, com três filhos e depois de quase três décadas juntos, a alegação do bilionário de que a sua fortuna não passou de pura sorte dificilmente será aceita pela corte.

“É difícil acreditar que um homem que construiu uma empresa não tinha nada a ver com o sucesso da mesma”, explica o advogado especializado em divórcios em casos de alta renda Raoul Felder. “Esse é o King Kong dos divórcios”, afirmou ele.