Beasley volta ao Heat

0
449

Problemático ala/pivô tem nova chance no Miami Heat, clube pelo qual foi selecionado no draft

No draft de 2008, depois de uma péssima campanha do Miami Heat, o time do sul da Flórida ficou com a segunda opção do draft da NBA. Os especialistas apostavam em dois jovens talentos como as melhores escolhas para as equipes: Derrick Rose e Michael Beasley. O Chicago Bulls tinha a preferência da primeira escolha e optou por Rose. Restou, então, ao Miami Heat selecionar Michael Beasley, que veio para o sul da Flórida cercado de muita expectativa.

Entretanto, ao contrário de Rose que se transformou em um craque, Beasley ficou somente na promessa. Pior ainda, fez péssimas decisões fora da quadra, permitindo que seu nível de jogo fosse caindo até que a direção do Miami Heat decidisse por sua dispensa para abrir espaço para as vindas de Lebron James e Chris Bosh para a equipe em 2010.

Michael Beasley foi para o Minnesota Timberwolves onde chegou a integrar uma equipe interessante com Kevin Love, Rick Rubio, Darko Milicic e Luke Ridnour. Entretanto, as lesões de Love e Rubio atrapalharam a equipe que não pôde render tudo o que dela se esperava.

Na temporada passada, ele jogou pelo Phoenix Suns, mas teve uma campanha decepcionante. Tanto a da própria equipe como a dele pessoalmente. Para complicar, ele foi acusado de atacar sexualmente uma moça em Scottsdale, no Arizona, e foi preso com a suspeita de posse ilegal de drogas. Aliás, seu envolvimento com drogas tem sido seu principal inimigo na carreira de jogador profissional de basquete.

Agora, Pat Riley e Eric Spoelstra, respectivamente presidente e técnico do Miami Heat, decidiram dar uma nova chance a Michael Beasley, desde que ele concorde em se submeter ao programa de reabilitação do clube, pelo qual já passaram com sucesso Mike Miller, Chris Andersen e Rashard Lewis. E ele está assinando um contrato de risco, recebendo o salário mínimo da NBA, que corresponde a menos de $800 mil por temporada.

Embora seja uma cartada de risco do Heat, a exemplo do que foi feito com Greg Oden, Beasley pode ser uma boa aquisição para o elenco porque tecnicamente é um bom jogador e tem apenas 24 anos. Se souber ouvir os conselhos dos mais experientes e levar a carreira a sério, o Miami Heat terá um elenco ainda mais forte do que o dos anos anteriores em que ganhou o bicampeonato.