Bebê americano nasce com apenas 21 semanas e sobrevive

0
641

Uma menina americana que nasceu em um hospital de Miami, com um pouco mais de 21 semanas de gestação, se tornou o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver a um período de gestação tão curto, informaram fontes médicas nesta terça-feira.

Amilia Taylor, que passou um pouco mais de 21 semanas dentro do útero de sua mãe (cerca de cinco meses), “superou todas as complicações e receberá alta hoje” no hospital, disse à agência Efe Georgina González, porta-voz do Hospital Infantil Batista de Miami (EUA).

“É a primeira vez na vida que acontece isto e os médicos tiveram que aprender a dar o tratamento adequado a um bebê tão pequeno”, declarou González, que afirmou que a menina nasceu em outubro de 2006, quando a previsão era que o parto normal acontecesse no dia 6 de março de 2007.

Sonja Taylor, 37, mãe do bebê, teve que ser submetida a uma cesariana no dia 24 de outubro, e, apesar de os especialistas que acompanharam o nascimento terem poucas esperanças de que viesse a sobreviver, a menina “conseguiu superar todos os obstáculos”, declarou González.

O bebê, que tem 17 semanas de idade, pesava quando nasceu um pouco mais de 283 gramas e media 24 centímetros, mais ou menos o comprimento de uma caneta.

Quase quatro meses após seu nascimento, a menina pesa atualmente 2 quilos e superou de forma satisfatória problemas respiratórios e digestivos, assim como um tipo de hemorragia cerebral.

Os especialistas se mostraram otimistas e disseram que a menina é um bebê saudável e seu estado é o suficientemente estável para que seus pais a levem para casa.

“Estou ainda assombrada”, declarou Sonja Taylor em um comunicado, enquanto disse que “agora (sua filha) está começando a parecer um bebê de verdade”. “Até quando pesa apenas 2 quilos ela me parece gordinha”, afirmou a feliz mamãe.

Milagre

A sobrevivência da criança foi considerada um “milagre” pelos médicos do hospital e, segundo o registro de bebês prematuros da Universidade de Iowa, a menina bateu o recorde mundial nesta categoria.

Até agora não havia sido documentado nenhum caso de bebê que tenha sobrevivido após um período de gestação menor que 23 semanas.

“Ela é na verdade um bebê milagroso”, declarou William Smalling, especialista da unidade neonatal do Hospital Batista, que afirmou que a equipe médica que atendeu à criança “nem sequer sabia qual era a pressão arterial normal de um bebê” tão pequeno.

Amilia Taylor passou os primeiros quatro meses de sua existência na unidade neonatal e quando nasceu não precisou auxílio de parelhos para respirar e chegou a tentar chorar em várias oportunidades.

Complicações

Um parto normal acontece entre a 37ª e a 40ª semana de gravidez, mas Sonja Taylor, que passou por um tratamento de fertilização “in vitro”, apresentou várias complicações durante sua curta gravidez, tais como infecções no colo do útero.

Os Estados Unidos têm uma média de 500 mil nascimentos de bebês prematuros por ano, embora a mortalidade dos menores de 23 semanas alcance 70%.

“Pode ser que agora precisemos reconsiderar os modelos de viabilidade à luz do caso de Amillia”, afirmou Smalling, que disse que durante anos “a tecnologia disponível para salvar a vida dos prematuros melhorou drasticamente”.