Histórico

Bens de deputados estaduais de São Paulo sobem até 832%

Dos 94 deputados estaduais de São Paulo, pelo menos 27 tiveram um aumento de patrimônio superior a 100% ao longo do mandato

Dez parlamentares elevaram o valor dos próprios bens em mais de 200%. E alguns políticos, como Giba Marson (PV), tiveram um verdadeiro boom financeiro.

Campeão isolado na disputa, o deputado foi eleito para a Assembléia Legislativa, em 2002, com R$ 514 mil declarados, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Hoje, tenta reeleição como deputado estadual com bens que somam R$ 4,7 milhões: um aumento de 832%.

As conclusões foram obtidas em levantamento feito com exclusividade pelo Jornal da Tarde. A tabulação dos números mostrou ainda que a soma do patrimônio dos deputados aumentou R$ 24 milhões ao longo da legislatura. A conta exclui 14 parlamentares que, em 2002, omitiram informações na declaração, artifício que impossibilitou a comparação com os demais.

Em média, a evolução patrimonial dos 20 deputados que mais enriqueceram fica em 280%, para os quatro anos de mandato. No mesmo período, pelo índice do custo de vida do Dieese, a variação da inflação foi de 40,12%. O aumento real do salário mínimo foi de 25,32%.

Hoje, no total, os deputados têm R$ 89 milhões em bens. O mais rico do Palácio Nove de Julho é o também mais antigo parlamentar da Casa: Antônio Salim Curiati (PP), dono de um patrimônio de R$ 19 milhões, entre empresas e imóveis. Depois dele, aparecem Afanásio Jazadji (PFL), com R$ 4 milhões, seguido do próprio Marson.

Todos os políticos mais bem classificados no ranking do enriquecimento foram procurados nesta sexta-feira(18). Apenas três retornaram aos telefonemas. O próprio Marson, além de Vanderlei Siraque (PT) e Waldir Agnello (PTB). O petista explicou que o crescimento de 493% de seu orçamento é “irreal”. Segundo ele, “por um erro”, sua declaração atual coloca em seu nome bens que na verdade são de sua esposa. “Já mandei arrumar”, disse.

Agnello, cujos bens foram elevados em 355% – inclusive com a compra de dois terrenos em Alphaville que somam R$ 476 mil -, garante que tudo foi adquirido “dentro da lei” , parcelado. “É através da administração financeira da renda. Minha família vive de forma modesta, mas consegue dar uma multiplicada no patrimônio”, disse.

Cláudio Weber Abramo, responsável pela Transparência Brasil, ironizou a situação. “Vemos que ser deputado é a mais rentável atividade da face da Terra”, alfinetou.