Big Brother da fronteira é considerado um fracasso

0
691

Desde novembro do ano passado está em funcionamento na fronteira entre o México e o estado do Texas, nos Estados Unidos, um sistema de segurança virtual para impedir a entrada de indocumentados na América. Câmeras de vídeo monitoram a região e as imagens ficam disponíveis na Internet, possibilitando que voluntários de qualquer parte dos EUA – e até do mundo todo – denunciem qualquer movimento ilegal de imigrantes. No entanto, a iniciativa, que sempre recebeu críticas de ativistas de direitos humanos, já incomoda também a quem sempre foi favorável à fiscalização, pois está mexendo no bolso dos contribuintes.

O custo total do sistema ultrapassou os dois milhões de dólares e até os simpatizantes do governador Rick Perry, autor da idéia, afirmam que o ‘Big Brother da fronteira’ não vem cumprindo seus objetivos. Afinal, apenas três indocumentados foram detidos com base em denúncias feitas pelos internautas. “O sistema necessita de ajustes, mas problemas são normais”, admitiu Katherine Cesinger, porta-voz do governador. Os sites com as imagens são www.texasborderwatch.com e www.Blueservo.com, que desde novembro já recebeu mais de dois milhões de hits – provavelmente de curiosos.

As críticas, porém, vêm de todos os lados. “É um desperdício de dinheiro e de tempo”, disse o senador estadual democrata Juan Hinojosa. “Não vejo utilidade em se gastar dois milhões de dólares num programa deste tipo. Não vale o investimento”, acrescentou o deputado democrata Trey Martinez Fischer. O objetivo é que a iniciativa possibilite a prisão de 1.200 indocumentados no primeiro ano de operação. Até agora somente 13 das 200 câmeras foram instaladas, ou seja uma para cada seis milhas da fronteira.