Brasil joga melhor, mas perde

0
642

Não adiantou o Brasil pressionar a seleção uruguaia durante a maior parte do tempo nesta quinta-feira, na semifinal da Copa do Mundo Sub-17, no Estádio Omnilife, em Guadalajara, no México. A Seleção Brasileira acabou perdendo a vaga na final ao ser derrotada por 3 a 0 pelo Uruguai, com falhas dos jogadores de defesa no começo e no final do confronto.

No começo, o goleiro Charles comprometeu: espalmou mal um chute de Moreira e fez pênalti em Aguirre, ao buscar o rebote. O Uruguai abriu o placar na cobrança de Alvarez, aos 19min do primeiro tempo. Já aos 26 min da etapa final, San Martin aproveitou sobra dentro da área e, livre por conta do mal posicionamento da defesa, bateu cruzado para marcar o segundo e definir o placar. Nos acréscimos, Méndez fechou a contagem. Assim, os uruguaios chegam pela primeira vez a uma final de Mundial Sub-17.

A ausência de Adryan, jogador do Flamengo dono da camisa 10, por suspensão, pesou para a Seleção Brasileira, mas não comprometeu. Após o gol uruguaio, o time comandado por Emerson Ávila criou boas chances, e aos 22min acertou o travessão em cobrança de falta de Wallace. Ademílson, artilheiro da equipe na competição, com cinco gols, quase fez um golaço ao aplicar um chapéu na entrada da área e tocar por cima do goleiro Cubero, com força demais. Aos 45min, Wallace cruzou da direita e Marlon Bica, sozinho, cabeceou por cima.
No segundo tempo, a pressão aumentou. Aos 3min, Léo passou por dois adversários e bateu à direita do gol. Aos 19min, Guilherme bateu falta da esquerda e Ademílson pegou a sobra, batendo rente ao travessão. Guilherme cobrou escanteio aos 23min e Nathan subiu sozinho para cabecear, mas Cubero fez excelente defesa. Em um vacilo da zaga, as esperanças brasileiras acabaram aos 26min.

Méndez recebeu na entrada da área em contra-ataque e foi travado no chute. A bola sobrou para San Martín, desmarcado por erro de posicionamento brasileiro. O jogador bateu cruzado, sem chance para o goleiro Charles, determinando a vitória e a classificação. O Brasil ainda partiu para o desespero, mas não conseguiu um empate milagroso que levaria a decisão para a prorrogação.

Nos acréscimos, os uruguaios ainda marcaram o terceiro gol. Em mais um contra-ataque, após seguidas jogadas desperdiçadas pelo Brasil, Aguirre invadiu a área pela direita e só tocou de lado para Méndez completar para o gol vazio.