Brasil não terá nenhum filme na disputa pela estatueta do Oscar em 2015

0
744

‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’ era aposta ao prêmio, mas não foi selecionado pela Hollywood Academy of Arts and Science

DA REDAÇÃO COM UOL

DIVULGAÇÃO
“Cena

Cena do filme “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”

O Brasil não terá nenhum filme no páreo pelo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2015. O longa Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, do diretor e roteirista Daniel Ribeiro, era a aposta nacional para o prêmio, mas está fora da disputa. A Hollywood Academy of Arts and Science divulgou na sexta-feira (19) a lista dos nove longas que avançaram na disputa pela estatuera–e a relação não conta com a presença da produção brasileira.

Os longas que seguem na corrida pela estatueta são Relatos Selgavens (do diretor Damián Szifrón), da Argentina, Tangerines (Zaza Urushadze), da Estônia, A Ilha dos Milharais (George Ovashvili), da Georgia, Timbuktu (Abderrahmane Sissako), da Mauritania, Lucia de B. (Paula van der Oest), da Holanda, Ida (Pawel Pawlikowski), da Polônia, Leviatã (Andrey Zvyagintsev), da Rússia, Force Majeure (Ruben Östlund), da Suécia e Libertador (Alberto Arvelo), da Venezuela.

“Foi muito bom para o filme, que nasceu super pequeno como um curta, chegar a ser escolhido pelo Brasil para concorrer ao Oscar. Só com isso a gente já estava muito feliz”, contou ao UOL o cineasta Daniel Ribeiro, que ainda não sabia da notícia.
Para ele, apesar do filme não seguir na disputa, a indicação do Brasil já foi muito positiva para a trajetória do filme. “Acho que ajudou bastante. Gerou interesse de novo no filme, mais pessoas se interessaram.”

‘Concorrência grande’
Ribeiro contou que, nos últimos meses, fez exibições para os membros da Hollywood Academy of Arts and Science, que não são obrigados a ver todos os filmes concorrentes nesta fase. “Esse é o processo mais difícil, fazer essas pessoas verem o filme”, afirma. “Foi legal, teve uma resposta bacana, mas tem uma concorrência muito grande, de filmes com distribuidoras gigantescas e que têm mais dinhheiro para fazer campanha, ou que têm um perfil maior, com diretores e atores famosos, que convencem mais.”

Além das exibições para os eleitores do Oscar, Hoje eu Quero Voltar Sozinho estreou em nove cidades norte-americanas e teve recepção positiva da crítica, com elogios de veículos como o The New York Times. O filme também foi vendido para outros 23 países.

Segundo Ribeiro, a lição que fica dessa experiência é a de deve continuar procurando falar com o público através de seus filmes. “O que eu sempre quis do filme é tentar alcançar o público. Mesmo que o personagem seja específico —um garoto cego e homossexual—, as pessoas conseguiram se identificar. Acho que isso a gente conquistou com esse filme, do tamanho que ele é, porque não é um blockbuster. Chegou muito longe. Para mim, o que fica é isso de continuar fazendo filmes que dialogam com as pessoas”, conclui.

O júri da Hollywood Academy of Arts and Science agora deve escolher, entre os 9 pré-selecionados, aqueles que concorrerão ao Oscar. A relação dos filmes que disputarão o prêmio maior do cinema sai em 15 de janeiro. A cerimônia de premiação acontece no dia 22 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Los Angeles.