Brasileiras foram presas tentando entrar ilegalmente nos EUA

0
784

Destino de Marinalda (foto) e Angélica seria Pompano Beach

O sonho da América para duas jovens do interior do Mato Grosso terminou atrás das grades. Marinalda Campos Vilela e Angélica Alves, cujas famílias moram na cidade de Pontes e Lacerda, foram presas pela polícia de imigração americana ao tentarem entrar ilegalmente nos Estados Unidos pela fronteira do México com o estado do Texas. As duas contrataram os serviços de coiotes (traficantes humanos) e, durante a tentativa de travessia, passaram fome e dormiram no chão.
O processo de deportação das duas mato-grossenses já foi iniciado, segundo o consulado brasileiro de Houston (TX), e elas devem retornar ao Brasil nos próximos dias. Marinalda, de 19 anos, deixou a sua cidade natal em março e, desde então, passou por uma verdadeira via-crucis até ser detida: viajou de Mato Grosso para São Paulo, em seguida foi para Belo Horizonte, onde embarcou num voo para Honduras e só então rumou para o México. Segundo a mãe da jovem, Maeli Silva Campos, a filha teria dito que tinha a promessa de emprego numa lanchonete nos EUA, aqui em Pompano Beach (Flórida).
Marinalda também sofreu desde que deixou o Brasil. Em uma carta enviada para a família de dentro do centro de detenção em Laredo, no Texas, ela lembrou o momento da prisão: “Atravessei o Rio Grande, depois caminhamos uma hora e meia até chegarmos ao asfalto. Até que vieram dois homens de verde e começaram a gritar: polícia!”. As duas brasileiras foram presas com outros imigrantes.