Brasileiro assume Organização Mundial do Comércio

0
585

Roberto AzevedoDa redação com UOL – Em sua estreia como diretor-geral da OMC (Organização Mundial do Comércio), na segunda-feira (9), o brasileiro Roberto Azevêdo prometeu dar fim à “paralisia” que, segundo ele, ameaça afundar a entidade na irrelevância. Brasileiro foi eleito em maio deste ano para o cargo na entidade que é o órgão máximo do comércio internacional. Na disputa acirrada pelo cargo, ele tinha o apoio dos países em desenvolvimento enquanto o mexicano Hermínio Blanco era visto como candidato dos países ricos.

O novo diretor-geral cobrou urgência dos 159 países membros para destravar a Rodada Doha de liberalização do comércio global. Ele disse que buscará resultados concretos na Conferência de Bali, em dezembro.”A paralisia acabou. Nós caímos nessa paralisia e nos acomodamos a ela. Isso acabou”, afirmou. “Desde 1999 a OMC não consegue fechar nenhum acordo multilateral. É hora de mudar isso”

Em discurso na sede da OMC, em Genebra, Azevêdo disse que a entidade corre o risco de ficar para trás caso não consiga avanços concretos nos próximos meses. “O mundo não vai esperar indefinidamente pela OMC. Ele vai seguir adiante”, alertou.

O brasileiro disse estar preocupado com o avanço de negociações bilaterais às margens da OMC. Ele sugeriu que isso pode esvaziar ainda mais a entidade. “O multilateralismo está deixando de ser a opção mais interessante. Minha preocupação é com o sistema, que não está funcionando.”