Brasileiro compra um dos mais famosos edifícios de Londres por $1,1 bi

0
1709

Empresário é o mesmo que comprou, em outubro, a distribuidora de bananas americana Chiquita

DA REDAÇÃO COM FOLHA DE S.PAULO

Brasileiro compra um dos mais famosos edifícios de Londres por $1,1 biO bilionário brasileiro Joseph Safra, controlador do Grupo Safra e um dos homens mais ricos do Brasil, anunciou na segunda-feira (10) a compra de um dos edifícios mais famosos de Londres, o 30 St Mary Axe, vendido por mais de 700 milhões de libras–cifra equivalente a $1,1 bilhão.

Safra, que no mês passado foi um dos compradores da gigante distribuidora de bananas norte-americana Chiquita, divulgou comunicado anunciando a aquisição do arranha-céu junto aos liquidantes que o controlavam, embora não tenha mencionado o montante da transação. O edifício, apelidado pelos londrinos de Gerkhin (em referência ao formato de pepino de sua construção), foi vendido por 726 milhões de libras (equivalente a $1,1 bilhão), de acordo com fontes próximas à transação.

Os antigos co-proprietários do Gherkin estavam inadimplentes há cinco anos nos pagamentos do empréstimo de 395 milhões de libras que obtiveram junto a um consórcio de bancos alemães para adquirir o edifício, em 2006. Os agentes imobiliários indicados para administrar a venda do edifício, e conversaram com mais de 200 potenciais compradores. O Gherkin foi projetado por Norman Foster, um dos mais renomados arquitetos do mundo.

O Grupo Safra afirmou que “a aquisição do 30 St Mary Axe é compatível com nossa estratégia imobiliária de investir em propriedades realmente especiais–nos melhores lugares das maiores cidades”. “Embora construído há apenas 10 anos, o edifício já é um ícone de Londres e se distingue dos demais imóveis do mercado, com excelente potencial de crescimento de valor. Pretendemos tornar o edifício ainda melhor e mais desejável por meio de uma postura ativa de propriedade e diversas melhoras que beneficiarão os inquilinos”, acrescentou o Grupo Safra.

Ainda que a compra do Gherkin seja a primeira incursão do grupo no mercado de imóveis comerciais do Reino Unido, Safra não é novato nas transações imobiliárias internacionais; no ano passado, a M. Safra & Co., a empresa de gestão de patrimônio de sua família, adquiriu participação de 40% no edifício General Motors, em Nova York, por cerca de $1,4 bilhão, em parceria com o incorporador de imóveis chinês Zhang Xin. A transação avaliava a torre de 50 pisos em $3,4 bilhões.

Imigrante do Líbano
Safra, 75 anos, é um judeu que chegou ao Brasil com pouco mais de 20 anos, como imigrante do Líbano. Ele manteve o império bancário da família, criado por seu tio-avô Ezra na Síria, ao estabelecer o Banco Safra–hoje o oitavo maior banco brasileiro, com mais de $50 bilhões em ativos e atendendo em geral a clientes privados. É o segundo mais rico entre os banqueiros mundiais, com fortuna pessoal próxima dos $15 bilhões de acordo com a revista Forbes. Sua marca registrada, segundo pessoas que o conhecem na intimidade, são o silêncio e a discrição.