Bush assina lei para construir muro na fronteira com México

0
727

A assinatura da lei surge como um esforço para garantir a plataforma eleitoral republicana a menos de duas semanas da eleição para o Congresso

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinou nesta quinta-feira a lei que ordena o construção de um muro de 1,125 quilômetros entre os Estados Unidos e o México. A medida é uma tentativa de dar plataforma eleitoral aos candidatos republicanos garantindo que eles são duros em relação à imigração ilegal.

“Infelizmente os EUA não têm total controle de suas fronteiras há décadas, portanto a imigração ilegal tem aumentado”, disse Bush durante a cerimônia de assinatura.

“Temos a responsabilidade de reforçar nossas leis”, disse Bush. “Nós temos a responsabilidade de garantir a segurança de nossas fronteiras. Levamos essa responsabilidade a sério”.

Membros do governo mexicano têm criticado a construção do muro”. O presidente Vicente Fox, que passou boa parte dos seis anos de mandato fazendo lobby por um novo programa de trabalho temporário e por uma chance de cidadania aos milhões de mexicanos trabalhando ilegalmente nos EUA, chamou o muro de “vergonhoso” e o compara ao Muro de Berlin.

A peça central da política de imigração do governo Bush, um programa de trabalho temporário, continua parado no Congresso. E muitos republicanos do Congresso bloqueiam as negociações com o Senado por uma lei que inclui a proposta do presidente.

Ainda assim, Bush argumenta que seria mais fácil conseguir passar o seu programa de trabalho temporário se os republicanos manterem a sua maioria no Congresso e no Senado após as eleições de sete de novembro. Os democratas tentam ganhar o controle das duas casas. Sua proposta permitiria emprego legal a estrangeiros e daria a chance a alguns dos estimados 11 milhões de imigrantes ilegais nos EUA, de se tornar cidadãos americanos.

O custo do muro é desconhecido, mas uma medida de segurança interna que o presidente assinou no início deste mês libera 1.2 milhões para o projeto. O dinheiro também pode ser usado para a construção de estradas de acesso, veículos iluminação, equipamentos de alta tecnologia e outras ferramentas para garantir a segurança da fronteira.

Mas muitas pessoas têm dúvidas sobre a efetividade do muro. “Um muro irá segurar as pessoas por um minuto ou dois, mas se você não tem agentes para impedi-los, (o muro) não faz nenhum bem. Não estamos falando sobre uma barreira impenetrável”, disse J.T. Bonner, presidente do Conselho Nacional de Patrulha de Fronteira, uma união que representa os agentes de patrulha, nesta quarta-feira.

As estatísticas da Alfândega e da Proteção da Fronteira mostram que as prisões de pessoas que cruzam a fronteira caíram oito por cento em nível nacional, segundo Bonner. As prisões só aumentaram em San Diego, uma área da fronteira que já tem muro