Caçada a terroristas em Boston termina com um morto e outro preso

0
702

Irmãos Dzhokhar e Tamerlan são suspeitos de executar o atentado a bomba que matou 3 e feriu 176 em Boston na segunda-feira

 irmãos terroristas

DA REDAÇÃO, COM REUTERS — A polícia prendeu o homem de 19 anos suspeito de participar do atentado a bomba durante a Maratona de Boston na segunda-feira, juntamente com seu irmão mais velho, depois de uma longa caçada que parou a cidade-subúrbio de Watertown, em Boston.

A prisão trouxe alívio para a cidade, ocupada por carros de polícia nas ruas e helicópteros rondando a área por toda a sexta-feira. Moradores e polícia comemoraram com gritos e aplausos quando o supeito, Dzhokhar Tsarnaev, foi capturado depois de uma troca de tiros com os policiais.

O porta-voz da Polícia Estadual de Massachusetts disse que Tsarnaev sangrava e foi levado para um hospital em sérias condições. Ele estava escondido sob a lona de um pequeno barco estacionado no quintal de uma casa em Watertown, informou o porta-voz. Um morador chamou a polícia depois de ver manchas de sangue no barco.

O Presidente Barack Obama falou aos jornalistas na Casa Branca logo após a captura e ressaltou que há ainda muitas perguntas a serem feitas sobre o atentado, inclusive sobre a possibilidade de os suspeitos terem recebido alguma ajuda adicional.

O Departamento de Polícia de Boston mandou uma mensagem pelo Tweeter: “CAPTURADO!! A caçada terminou. A busca acabou. O terror acabou. E a justiça ganhou. O suspeito está preso.”

O Prefeito de Boston, Tom Menino. disse pelo mesmo Tweeter: “nós o pegamos”.

Tsarnaev é um dos dois irmãos suspeitos de terem manufaturado bombas em panelas de pressão, cheias de pedaços de metal e pregos, para depois detoná-las perto da linha de chegada da famosa Maratona de Boston, matando três pessoas e ferindo outras 176, na segunda-feira (15).

O irmão mais velho, Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, foi morto na quinta-feira à noite em um tiroteio com a polícia, a menos de uma milha do local onde o irmão foi capturado na noite de sexta-feira.

“Estamos muito felizes de fazer justiça e dar um fim para este caso”, disse o Chefe da Polícia Estadual de Massachuesetts, coronel Timothy Alben, em entrevista coletiva. “Estamos exaustos, mas conquistamos uma vitória esta noite.”

O atentado a bomba de segunda-feira foi classificado como “um ato de terrorismo” por Obama. Foi o pior ataque em solo americano desde os sequestros dos aviões em que derrubaram as torres do World Trade Center, em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001.

Os irmãos não possuem nenhum registro de conexão com possíveis organizações, disseram as autoridades que investigam o caso. Mas, em 2011 o FBI interrogou o mais velho a respeito de ações relacionadas a um governo estrangeiro não identificado, afirmou uma fonte à Reuters. O caso foi encerrado quando o interrogatório não resultou em nenhuma informação produtiva, de acordo com a fonte da Reuters, que não quis se identificar.

Alguns detalhes sobre os dois irmãos começaram a aparecer na sexta-feira. Os dois são de uma região predominantemente muçulmana do Cáucaso Russo, que tem estado em conflito há décadas, desde o fim da União Soviética,

O mais novo dos irmão dizia numa rede social que pertencia a uma minoria vinda de uma região que inclui a Chechência, o Dagestan e a Ingushetia.

Um homem que declarou-se a imprensa como sendo tio dos suspeitos disse que eles vieram para os Estados Unidos em 2000, e se estabeleceram em Cambridge, Massachusetts. Ruslan Tsarni, que mora em um subúrbio de Washington e não falava com os sobrinhos desde 2009, disse que o atentado “envergonha a família. Envergonha toda a etnia chechena.”