Caçada ao policial brasileiro se intensifica

0
1200

David Britto, Policial do Ano de Boynton Beach em 2010, continua foragid

Agentes federais e policiais locais montaram uma operação difícil de ser executada: caçar um policial do sul da Flórida e veterano do Marine Corps que encontra-se foragido há uma semana.

David Britto
Como membro da polícia de Boynton Beach por quase cinco anos, David Britto aprendeu as técnicas que as autoridades usam para rastrear e capturar fugitivos. E como ex-soldado do U.S. Marine ele sabe como sobreviver na selva. Ele pode estar nas montanhas do Tennessee. Ou da Carolina do Norte. Ou da Geórgia, disse David Gambale, outro ex-Marine.

Todos epeculam sobre o paradeiro de Britto, nascido em Vila Velha (ES), e homenageado como Policial do Ano de Boynton Beach em 2010. Uma semana atrás, ele cortou a tornozeleira e fugiu da prisão domiciliar na casa de sua mãe em Coral Springs.

Ele estava enfrentando uma sentença máxima federal de prisão perpétua por posse e tráfico de 500 gramas de methamphetamine, avaliadas em $17,000, entre junho de 2009 e março deste ano.

Desde 1º de julho, Britto, de 28 anos, estava recebendo sua parcela mensal do pagamento anual de $52,979. Agora, os depósitos em cheques em sua conta bancária foram suspensos. Ele deve vir pessoalmente ao departamento de polícia para retirá-los, disse Stephanie Slater, porta-voz do departamento.

O Serviço do U.S. Marshals, que está liderando a caçada de Britto, não quis comentar sobre a possibilidade dele estar ainda no sul da Flórida ou ter fugido para o Brasil. Um conhecido da família confirmou que é mesmo bem possível que ele tenha ido para lá até porque a família também está de mudança.

Britto teve seu passaporte confiscado como condição de sua prisão domiciliar, mas ele pode ter encontrado uma maneira de cruzar a fronteira ou embarcar em um avião, especialmente porque ele tem documentos de identificação brasileiros. Neste momento, ele pode estar em qualquer lugar, disse Barry Golden, porta-voz do Serviço do U.S. Marshals. Recentemente, as autoridades receberam várias dicas sobre Britto.

Quebrou a tornozeleira e fugiu

O caso de Britto é parecido com o de Daniel William Hiers Jr., um dos 15 fugitivos mais procurados do país pelo Serviço do U.S. Marshals.
Em 2004, Hiers, então com 32 anos e policial em Charleston, S.C., foi preso sob acusação de abuso infantil e suspenso da força. No ano seguinte, quando deveria entregar-se, matou sua esposa e fugiu. Como Britto, Hiers era treinado em artes marciais e pode estar armado.

Britto saiu após pagar uma fiança de $100,000. Ele e sua mãe pagaram metade da fiança e a outra metade foi garantida por uma empresa de Miami chamada bailbonds.com. Roy Zemlock, o agente que assinou a caução para a companhia, disse que não se lembrava de Britto e desconhecia seu desaparecimento.

Gambale disse que os caçadores de recomepnsa baseados em Miami estarão procurando por Britto e provavelmente oferecerão dinheiro a familiares e amigos por informações que levem à sua captura. Eu ofereceria $5,000. Há sempre alguém pronto para entregar. Seja por dinheiro, seja por justiça, comentou.

As autoridades federais que procuram por Britto estarão monitorando a Internet para ver se ele se comunica com alguém online, via email, Facebook ou Twitter, comentou Gambale.

Britto tem sido é um ávido blogger, postando ensaios sobre Jesus Cristo blessedwarrior.com, sobre nutrição no getfitandeatright.com e sobre como reconquistar sua ex num site de relacionamento. Ele foi casado por duas vezes e também parecia estar tentando tornar-se um marqueteiro da Internet. No Twitter, ele promovia pílulas para perda de peso, uma bicicleta para exercício e outros itens.

Enquanto estiver fugindo, ele terá de usar dinheiro vivo seu próprio ou emprestado de alguém , mas não cartões de crédito para evitar ser localizado, dizem os experientes caçadores de fugitivos.

Se for capturado, Britto provavelmente enfrentará acusações adicionais por ter violado as condições de sua fiança e fugido. Terá ainda mais problemas para apresentar uma defesa sólida contra as acusações de porte de drogas.

Na lei está escrito que a fuga é a evidência da culpa, disse Eugene O’Donnell, professor de estudos policiais na John Jay College of Criminal Justice de Nova York. A lei diz que as pessoas inocentes permanecem e se defendem, não fogem.

O Serviço do U.S. Marshals pede a quem tiver informações sobre o paradeiro de Britto que ligue para o telefone (786) 433-6600.