Capixaba é condenado a prisão perpétua por duplo assassinato

0
1036

Crime aconteceu em Framingham, em 2006

O carpinteiro capixaba Jeremias Bins vai passar o resto da vida numa cadeia de Massachusetts pelo duplo-assassinato cometido contra a esposa Carla Souza, 37 anos, e o enteado Caíque Souza, de 11, em maio de 2006. O crime, que chocou a comunidade brasileira de Framingham, no estado de Massachusetts, foi consumado a golpes de martelo. O júri considerou o brasileiro culpado de assassinatos em primeiro grau. O casal vivia ainda com outro filho, Phillipe, que na época tinha apenas 4 meses.

“Foram dois anos e meio de angústia e as últimas três semanas sem poder dormir, comer, ou trabalhar. Estou aliviado por ver que ele vai pagar. Ele me tirou o direito de ficar com o meu filho, esse direito também foi tirado dele hoje. Ele está onde deve estar”, desabafou Antonio Júnior, pai de Caíque e primeiro marido da baiana Carla.

O crime aconteceu na noite de 20 de maio de 2006. Jeremias, que mudou-se para os Estados Unidos em 2003, reclamou do tempo que Carla passava num templo Mórmon daquela cidade e a discussão acabou descambando para a violência. Caíque, que pesava apenas 43 quilos e tinha 1,27m de altura, tentou interceder em favor da mãe e também foi atingido por marteladas. As duas vítimas receberam vários golpes na cabeça e morreram no local, enquanto que o capixaba se entregou aos policiais todo ensangüentado.

Durante o julgamento, o defensor público Earl Howard afirmou que Jeremias agiu num momento de raiva porque foi ameaçado por Carla. Mas não convenceu o júri de que não houve premeditação no ato: o promotor Lee Hettinger convocou 15 testemunhas e apresentou 60 provas que apontavam o brasileiro como o frio autor dos assassinatos. “Hoje ficou provado que a justiça dos homens funciona nos EUA. Agora a minha vida pode seguir em frente”, afirmou na saída do tribunal o único irmão de Carla que vive em Milford Élvio Maia. É ele quem ficou com a guarda do sobrinho Phillipe, que sequer sabe sobre o ocorrido.