Carol e Daniela contam ao AcheiUSA detalhes da preparação do I BrazilFoundation Gala Miami

0
396

As duas co-chairs são responsáveis pelo evento que promete tornar-se referência em ação social no sul da Flórida

Maria Carolina Melo e Daniela FonsecaDA REDAÇÃO – Maria Carolina Melo, executiva da área de moda, e Daniela Fonseca, advogada, são as duas mulheres que viabilizaram a realização do I BrazilFoundation Gala Miami, nos moldes daquele que vem sendo realizado em New York há 10 anos. A BrazilFoundation é uma entidade filantrópica, fundada por Leona Forman e presidida por Patricia Lobaccaro, que tem por finalidade gerar e investir recursos para projetos sociais nas áreas de educação, saúde, direitos humanos, cidadania e cultura.

Para entender melhor como Carol e Dani se envolveram com a BrazilFoundation e suas expectativas para o evento marcado para a noite de 27 de março no W South Beach Hotel, o AcheiUSA fez uma entrevista com Maria Carolina, com total concordância de Daniela .

AcheiUSA – Inicialmente, gostaria que vocês se apresentassem. Um breve currículo de quem são e o que fazem para que nossos leitores fiquem conhecendo.
Maria Carolina – Eu nasci em Recife, capital de Pernambuco, e me mudei para Miami em 2006 quando casei com o meu marido, Paulo Tavares de Melo. Sou advogada de formação e trabalhei em um dos maiores escritórios da minha cidade até o dia que me mudei pra Miami. Fiz dois LL.Ms em International Law na Universidade de Miami, onde ainda sou muito ativa como membro do International LL.M. Advisory Committee. Agora estou envolvida com moda. Sou executiva e sócia da marca Martha Medeiros.

AU – Vocês acompanham há muito tempo o trabalho desenvolvido pela BrazilFoundation em New York? Acompanham de perto o trabalho de Leona Formam, inicialmente, e o de Patricia Lobaccaro agora?
MC – Conheci o trabalho da Fundação ano passado quando fui convidada para ir ao Gala em New York e fiquei encantada com a organização e profissionalismo do trabalho da equipe chefiada pela Patricia Lobaccaro, CEO da Fundação.

AU – Como surgiu a ideia de fazer o I BrazilFoundation Gala em Miami? Vocês se candidataram para a tarefa ou foi um convite formulado por Patricia?
MC – Quem me convidou foi a participar foi Daniela Fonseca, que sempre teve a intenção de trabalhar juntamente com uma fundação. Através de amigos, Daniela conheceu Patricia Lobaccaro e o trabalho da Fundação. Já na primeira conversa que tivemos entre as três, ficou claro que existia a boa vontade e a capacidade de realizar o sonho de Patricia de que a Fundação tivesse um braço em Miami.

AU – Qual a expectativa para a realização deste primeiro evento? Vocês estão sentindo apoio da comunidade brasileira aqui do sul da Flórida?
MC – A comunidade é muito mais organizada do que eu imaginava. Por incrível que pareça, o maior obstáculo que encontramos foi apresentar pela primeira vez a Fundação e toda a grandiosidade do seu trabalho a diversas pessoas que não conheciam o sucesso da fórmula criada por Leona Forman e o resultado de 10 anos de trabalho bem feito pela Fundação. Daniela e eu temos planos ambiciosos para a Fundação em Miami. Esse foi nosso primeiro ano e fomos muito bem recebidas pela comunidade e empresas brasileiras sediadas no sul da Flórida. Por isso, o Gala será um sucesso. Nosso objetivo é tornar o Gala um marco no calendário social da cidade e alcançarmos (e por que não ultrapassarmos?) o gigantesco resultado de arrecadação que é o Gala em NY.

AU – Vocês já definiram quais entidades serão beneficiadas com o dinheiro arrecadado com o Gala ou isto é um processo posterior?
MC – Isso é um processo posterior. Daniela e eu vamos para o Rio de Janeiro em maio para acompanhar o processo de seleção final das entidades que serão beneficiadas.

AU – Vocês pretendem manter março como o mês dedicado à BrazilFoundation Gala em Miami? Estou sabendo que os convites estão praticamente esgotados, pensam em abrigar o evento em outro local em 2013?
MC – Pretendemos. Escolhemos fazer o evento em março por ser uma época de muito fluxo de visitantes em Miami atraídos por outros eventos como o Sony Ericsson Open de Tênis e o Festival de Música Eletrônica. Desta forma, possibilitamos uma maior captação de recursos possíveis e maior exposição da Fundação aos miamenses de temporada. Vendemos todas as mesas um mês antes do dia do evento. Sim, ano que vem pretendemos aumentar o número de mesas disponíveis pra acolher toda a demanda em torno do evento.

AU – Como é a estrutura para viabilizar um evento deste porte? As pessoas participam voluntariamente ou há a necessidade de pagar alguém para cuidar da parte mais trabalhosa de sua organização?
MC – A Fundação tem uma estrutura que nos permite sonhar grande. Através das graças de doadores fiéis, a Fundação mantém um bom time em New York. Patricia Lobaccaro conta com a fiel e incansável ajuda de Patrícia Borges, contratada da Fundação para lidar com toda a parte financeira e de eventos. Patrícia Borges é nosso braço direito aqui em Miami nos auxiliando com tudo que precisamos.

AU – Quanto tempo demora para fechar uma data e sincronizar as agendas de tantas pessoas famosas e ocupadas? Deve ser uma tarefa bem difícil.
MC – Acho que batemos recorde com esse primeiro Gala, pois tudo foi resolvido dentro de um apertado prazo de três meses desde o primeiro telefonema entre nós três (Daniela, Patricia e eu). Viabilizar a festa é a primeira preocupação, depois tentamos enquadrar a agenda dos homenageados da noite e, por último, contamos com o espírito de beneficência das celebridades que nos ajudaram a fazer do evento o sucesso que está sendo.

AU – Vocês já estão pensando no evento do próximo ano ou preferem ver o resultado deste para fazer avaliações e ajustes?
MC – Como disse, temos planos de longo prazo e a certeza de que o evento do próximo ano será um sucesso ainda maior que esse. No entanto, a semana é de celebração pelo sucesso alcançado e trabalho pra que tudo saia o mais perfeito possível. “We have big shoes to fill!”. O Gala em New York já é um sucesso tremendo e Daniela e eu temos toda a certeza que Miami tem todos os fatores para se tornar um sucesso maior ainda, seja pela crescente presença de brasileiros em posições de destaque na sociedade local, pela tradição de Miami em abraçar causas filantrópicas, ou pela sua verve festeira.

AU – Haverá alguma surpresa de última hora ou o evento já está todo formatado?
MC – A surpresa na verdade já pode ser anunciada, pois fomos surpreendidas pelo nosso chair Helio Castroneves e pelo homenageado Romero Brito com certos itens que serão leiloados pelo próprio Hélio para os convidados da noite. Entre eles, um capacete que será pintado pelo Romero Brito com exclusividade para o evento, um macacão usado por Helio em uma das corridas de Formula Indy e um conjunto de credenciais VIPs para a próxima corrida de Formula Indy com direito à volta no pace car.