Carolina do Norte libera indocumentados nos cursos superiores, mas com anuidade ainda cara

0
446

Os jovens indocumentados que concluíram a high school na Carolina do Norte poderão se matricular nas faculdades públicas do estado (no sistema das ‘Community Colleges’) a partir de 2010. A decisão foi tomada pelos educadores com o propósito de permitir que mesmo os imigrantes em situação irregular no país possam concluir o curso superior e contrapõe a uma medida que vigorava desde 2008. “Pensamos que a educação é o bem maior de um indivíduo e isso aumenta as chances de imigrantes se tornarem profissionais bem-sucedidos na América”, disse Marco Zarate, presidente de uma entidade de hispânicos na Carolina do Norte.

58 Colleges

A nova lei tem como foco crianças que chegaram aos Estados Unidos com os pais e concluíram o Ensino Médio (High School), mas estavam impedidos de avançar para o curso superior. “Eles adotaram a cultura americana, falam ingles fluentemente, mas não podiam avançar na carreira”, acrescentou Zarate, lembrando que o sistema abrange 58 comunity colleges no estado.

Mas nem tudo são flores: os alunos indocumentados terão que pagar a anuidade completa, que é cinco vezes mais cara do que um cidadão paga normalmente. Além disso, os imigrantes não poderiam se qualificar para bolsas de estudo. “A situação está muito difícil no país. Oferecer esta oportunidade numa época em que os indocumentados muitas vezes não têm dinheiro sequer para comer é uma afronta”, reclamou um ativista. Por sua vez, a governadora da Carolina do Norte considera uma bobagem a mudança na lei, mas foi voto vencido: “Por que o estado vai investor em um estudante, se depois ele não vai poder trabalhar legalmente neste país?”, indagou, com certa propriedade.