Histórico

Cidade da Flórida rechaça medida contra imigrantes

Vereadores de Palm Bay, no centro do estado, rejeitaram apoio à medida antipática

Os membros do Conselho da cidade de Palm Bay, no centro da Flórida, votaram nesta sexta-feira (18) contra uma proposta que tentava penalizar empresas que contratassem imigrantes indocumentados, convertendo-se na segunda cidade do estado a rechaçar uma medida deste tipo.

A iniciativa foi rejeitada por três dos cinco membros do Conselho da localidade, a sudeste de Orlando, após um intenso debate público de mais de cinco horas que começou na noite de quinta-feira (17) e se estendeu até a madrugada de sexta-feira.

Depois da decisão, dezenas de ativistas, líderes comunitários e imigrantes que assistiram ao debate no abarrotado recinto do Conselho celebraram aquilo que foi qualificado como uma vitória.

A proposta, impulsionada pelo vereador Andy Anderson, pretendia estabelecer multas de até 500 dólares contra os que contratassem imigrantes indocumentados e negar contratos com a prefeitura àquelas empresas que infringissem esta regulamentação.

No último debate, dois vereadores que inicialmente haviam apoiado a medida, mudaram de parecer por considerá-la “não afinada com aquilo que a maioria da comunidade desejava e promovia prejuízos contra os hispânicos”.

Numa primeira audiência, realizada em meados de julho, a medida recebeu luz verde em um acalorado debate. Na ocasião, os vereadores inclinaram-se a favor de impor multas em vez de criminalizar as empresas que desrespeitassem a medida, como estava previsto inicialmente.

Esta é a segunda medida do tipo a ser rejeitada na Flórida, após a localidade de Avon Park, a sudeste de Tampa, não ter aprovado no mês passado uma medida que também procurava penalizar aqueles que empregaram ou alugaram casas para imigrantes sem papéis.

Margarita Romo, que participou no debate em representação da organização “Farmworker Self-Help”, considerou a “derrota” desta medida como um triunfo para a comunidade imigrante. “Com esta decisão, estamos apagando a nuvem de ódio, o racismo e a discriminação contra os indocumentados em nosso estado. Definitivamente é uma vitória muito importante”, declarou à agência EFE a ativista, após escutar a decisão dos vereadores.

A União de Liberdades Civis (ACLU), o Centro de Apoio a Imigrantes da Flórida e o Fundo Portorriquenho de Educação e Defesa Legal (PRLDEF) haviam manifestado sua intenção de desafiar a medida nas cortes.

Evelia Menjívar, membro da organização “United Farm Workers”, que exortou os vereadores a analisar seu voto durante a audiência, mostrou-se satisfeita com a decisão, assegurando que isto pode servir como um precedente para outras cidades que pretendam implementar medidas contra os imigrantes indocumentados. “Para nós, este é o maior triunfo que tivemos porque demonstra às outras comunidades, que estão tentando aprovar medidas contra os imigrantes, que vamos derrotá-las”, garantiu Menjívar.

As localidades de Avon Park e Palm Bay tentaram seguir os passos da cidade de Hazelton, Pensilvânia, que, no início de julho, aprovou uma medida que nega licença empresarial àquelas empresas que contratem indocumentados e multa os senhorios que alugarem suas vivendas para os ilegais.

“Os grupos anti-imigrantes terão de ir para outro estado, porque aqui na Flórida não foram bem-sucedidos e vamos continuar atentos e lutando em favor de nosso povo”, acrescentou a ativista.

Palm Bay é uma cidade litorânea de pouco mais de 100.000 habitantes, dos quais aproximadamente 8.000 são latino-americanos.

Baixe nosso aplicativo