Histórico

Cientistas descobrem fatores genéticos de risco de câncer de próstata

Cientistas americanos descobriram sete fatores genéticos que indicam o risco de desenvolver câncer de próstata, na primeira prova de que a genética tem papel importante na doença, segundo um estudo publicado neste domingo.

Os sete fatores são seqüências de DNA que estão presentes nas células de algumas pessoas e que estão agrupadas em uma pequena região do cromossomo 8, de acordo com a pesquisa, divulgada na edição on-line da revista “Nature Genetics”.

Cada um desses fatores indica maior risco de vir a desenvolver câncer de próstata, que é a segunda maior causa de morte nos Estados Unidos entre os homens, depois do câncer de pulmão.

O principal autor do estudo e professor de genética da Faculdade de Medicina da Universidade Harvard, David Reich, disse que o resultado pode levar a aplicações práticas.

A determinação da existência de algum desses variantes “pode nos ajudar a identificar homens que deveriam fazer exames preventivos para o câncer de próstata de forma prioritária”, acrescentou.

A população afro-americana, especialmente, apresenta maior tendência em possuir os fatores genéticos, o que pode explicar por que o câncer de próstata é mais freqüente entre eles que em outros grupos étnicos, segundo o estudo.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram a estrutura genética da região do cromossomo 8 de 2.500 afro-americanos.

Além disso, fizeram testes em americanos de origem japonesa, européia, latino-americana e havaiana, no total de 7.500 homens, com e sem câncer de próstata.

No entanto, os pesquisadores enfatizaram que a genética não explica tudo, e que fatores ambientais e pessoais contribuem para o risco de desenvolver a doença.

Baixe nosso aplicativo