Clinton cita etanol do Brasil como exemplo em comercial

0
819

Na propaganda, Clinton defende redução da dependência do petróleo

Um comercial que está sendo exibido no Estado americano da Califórnia traz o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton citando o programa de etanol brasileiro como um exemplo de uso de combustível alternativo no qual o Estado deveria investir.
No anúncio, Clinton afirma: “Imagine se conseguíssemos deixar de ser dependentes do petróleo internacional. O Brasil conseguiu. Eles fizeram uma simples mudança em seus carros. Mudaram para etanol, fabricado no próprio país. E é 33% mais barato que a gasolina.”

O ex-líder americano conclui o anúncio afirmando: “Se o Brasil pode fazê-lo, a Califórnia também pode”.

O comercial foi idealizado por defensores da Proposta 87, uma das resoluções que foram incluídas na cédula eleitoral no Estado e que propõe o financiamento de projetos alternativos de energia por meio da taxação do petróleo produzido na Califórnia.

No anúncio, Clinton diz ainda que a Proposta 87 poderá fazer com que a Califórnia seja uma pioneira no projeto americano de obter auto-suficiência em energia.

Votação

A proposta será votada no próximo dia sete de novembro, quando os eleitores californianos forem às urnas para escolher governador, senador e deputados.

Segundo relatos da imprensa americana, as campanhas contra e a favor da resolução já gastaram um total de US$ 100 milhões.

Além de Clinton, o grupo dos defensores do “sim” à proposta inclui o ex-vice-presidente Al Gore, que também serviu de garoto-propaganda em outro anúnico, bem como diversas celebridades como a atriz Julia Roberts, o presidente da Virgin, Richard Branson, e o fundador do Google, Larry Page.

O principal financiador do “sim” é o produtor hollywoodiano Steve Bing.

O grupo contrário à Proposta 87 é integrado por grandes companhias de petróleo, como Chevron e Exxon, e pelo atual governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger. O governador, que tenta a reeleição, está à frente de seu rival, o candidato democrata Phil Angelides, nas mais recentes pesquisas de intenção de voto.

Propostas

Diferentes Estados americanos terão propostas distintas em suas cédulas eleitorais, que vão desde o aumento do salário mínimo até a adoção de medidas antitabagismo.

No Estado do Missouri – onde os democratas estão confiantes de que poderão conquistar uma das seis cadeiras que necessitam para assumir o controle do Senado -, será votada uma resolução defendendo pesquisas de células-tronco.

O ator Michael J. Fox, que é portador do Mal de Parkinson, tem sido visto em um anúncio da campanha da candidata democrata ao Senado, Claire McCaskill, que defende as pesquisas.

No anúncio, Fox é visto com o forte tremor que caracterizam a doença e faz críticas a Jim Talent, o rival republicano da candidata democrata.

Casamento gay

Um total de oito Estados americanos – Colorado, Idaho, Pensilvânia, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Tennessee, Virginia e Winsconsin – irão votar propostas que proíbem o casamento entre homossexuais.

Os republicanos esperam que o tema volte a atrair a sua base às urnas, como ocorreu na votação presidencial de 2004.

Um elevado comparecimento de eleitores conservadores beneficiaria os republicanos em Estados onde a disputa está apertada, como na Virginia e no Tennessee.

Neste último, tanto o postulante democrata ao cargo de senador, Harold Ford Jr., quanto seu opositor republicano são favoráveis à proibição do casamento entre gays.