Colômbia é o maior falsificador de dólares, diz estudo

0
846

Estima-se que existam US$ 70 milhões em notas falsas no mundo

A Colômbia e a Coréia do Norte são os maiores produtores de notas falsas de dólares, de acordo com um estudo realizado pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, o Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) e o Serviço Secreto americano.
Segundo os três órgãos, uma em cada 10 mil notas de dólares é falsa.

O estudo diz que equipamentos mais baratos estão facilitando a falsificação de dinheiro.

Na Bulgária, onde a falsificação de dólares era uma das maiores do mundo, as notas mais forjadas passaram a ser de euros, segundo o levantamento americano.

‘Muito bem falsificadas’

Cerca de US$ 450 bilhões dos US$ 750 bilhões em notas em circulação são mantidos fora dos Estados Unidos. Estima-se que cerca de US$ 70 milhões sejam compostos por notas falsas.

A Colômbia, o maior fornecedor de drogas ilegais nos Estados Unidos, também é a maior fonte de notas falsas.

O país produz cerca de 15% das 56,2 milhões de notas falsas de dólares que estavam em circulação em 2005.

Já a Coréia do Norte é famosa entre autoridades do setor pelas chamadas supernotas.

“O Serviço Secreto dos Estados Unidos determinou por meio de análise investigativa e forense que estas notas altamente bem falsificadas estão ligadas à República Democrática Popular da Coréia do Norte e são produzidas e distribuídas com a autorização e o controle totais do governo da Coréia do Norte”, afirma o relatório.

Em fevereiro deste ano, a agência de inteligência da Coréia do Sul disse que sua vizinha do Norte não estava mais forjando notas de dólares americanos.