Compartilhar, o verbo da moda

0
794

Em tempos de renovação, com a eleição de um novo papa, que prega a humildade e a solidariedade àqueles que pouco possuem, o AcheiUSA também decidiu dedicar espaço aos brasileiros que, juntos ou solitários, doam seu tempo e alguns bens para ajudar os mais necessitados.

Nesta edição, particularmente, temos vários casos de pessoas que acreditam na solidariedade como um ato de amor. Desde os mais ricos, reunidos na BrazilFoundation, que desenvolvem um trabalho social bem interessante para diversas instituições brasileiras, até os mais simples. A BrazilFoundation, que começou há mais de uma década em New York, com a dedicação de Leona Forman, frutificou bastante e já começou a dar filhotes, como o Gala Miami, cidade que mora no coração dos brasileiros.

Algumas entidades radicadas em Miami apoiam a iniciativa. O Instituto Barrichello Kanaan, que faz trabalhos importantes no sentido de arrecadar fundos e oferecer oportunidades para pessoas que vivem em áreas vulneráveis, tem como foco o desenvolvimento de projetos que envolvam crianças, adolescentes, jovens e até mesmo idosos para que eles tenha uma cidadania participativa.

Gastromotiva, outra entidade homenageada pelo Gala Miami, incentiva jovens a entrar no mercado de trabalho através da prática gastronômica. A experiência tem sido tão bem sucedida que vem servindo de modelo para outras iniciativas similares.

E a solidariedade pode estar presente em todos os lugares. Até mesmo singrando os mares, como é o caso da família Schurmann. Heloisa, a matriarca da família que se notabilizou por viajar para todos os lugares a bordo de um veleiro, escreveu o livro “Pequeno Segredo”, em homenagem à pequena Kat, que acabou sendo adotada pela família e trouxe um sopro de esperança.

Mais do que isto, deu uma lição de vida para eles. Tanto que, após sua morte, foi criada a Instituição Kat Schurmann para cuidar de crianças vítimas de Aids no sul do Brasil, a quem será direcionada 50% da renda arrecadada na noite de lançamento do livro em Miami. Os restantes 50% serão destinados a outra entidade social, Natal de Renata, que visa propiciar um Natal feliz às crianças carentes do Recife.

A tal da solidariedade pode também estar presente na atitude de dona Cida Nery, que há muito tempo percorre as ruas do sul da Flórida levando alimentos e comida aos mais carentes, independente da nacionalidade. Mesmo aos 73 anos de idade, a mulher encontra forças dentro de si para fazer o bem ao próximo. Em datas especiais, ela recebe ajuda dos religiosos da Igreja Adventista em Fort Lauderdale.

E o que dizer daqueles seres especiais que se dedicam a auxiliar crianças com habilidades especiais ou com incapacidades físicas e mentais? Pois estas pessoas existem e estão em diversos locais: escolas, entidades de assistência social, hospitais, centros esportivos, enfim, são seres humanos que não poupam esforços e dedicação para ajudar o próximo.

Essa semana foi comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down, mais exatamente no dia 21 de março. Ao ler a reportagem nesta edição na verdade, mais um depoimento de uma mãe de uma menina portadora de Síndrome de Down -, as pessoas entenderão o porque de ter sido escolhida esta data.

A mãe brasileira, apesar da luta incessante por sua filha, tem sabido reconhecer aqueles que têm ajudado tanto ela como a menina a levar uma vida normal. Sim, normal. Porque, ao contrário do que desconhecem pessoas que não convivem com crianças portadoras desta característica, elas possuem um grau de aprendizado similar às demais crianças. O que precisa mudar, no entanto, é o método do ensino.
São atos como dessas pessoas anônimas ou famosas que fazem a diferença na sociedade. Atualmente está sendo veiculado na televisão americana até mesmo um comercial que convoca as pessoas a se engajar em alguma atividade social. Os modelos são pessoas famosas, mas o texto enfatiza: “Você não precisa ser uma celebridade para participar ativamente de uma causa social”. E completa: “A apatia não está com nada”.

Como veículo de comunicação, o AcheiUSA sente-se orgulhoso em publicar estas iniciativas sociais como uma maneira de mostrar que a solidariedade é importante para que a sociedade humana consiga diminuir as injustiças sociais e, se possível, erradicar a fome e o sofrimento de milhões de pessoas que vivem em condições desumanas em todo o planeta. E são pessoas com este caráter que realmente fazem a diferença em nossa sociedade, independente de serem anônimos, famosos, ricos, pobres, jovens ou velhos. O exemplo destes abnegados deve ser seguido por nós todos para fazermos do planeta Terra um mundo melhor para se viver.

E o AcheiUSA aproveita a oportunidade para saudar a vinda de Cesar Barroso, nosso mais novo colaborador, cuja coluna de estreia enfatiza o filme que narra a aventura de talentosos cozinheiros que trocaram a França pelo Brasil.