Copa das Confederações: Brasil joga em casa em busca do tetracampeonato

0
418

Equipe luta contra desconfiança do torcedor para vencer a competição e se fortalecer para a Copa do Mundo de 2014

Felipao

Maior vencedor da Copa das Confederações com três títulos, o Brasil tem a pressão de defender o atual bicampeonato (2005 e 2009) em casa. E justamente no momento em que a seleção se encontra na pior posição que já ocupou no ranking da FIFA, 22º lugar. Desde a Copa do Mundo de 2010, ocorreu um processo de renovação necessário, mas que preocupa dentro de campo. A equipe, ainda em processo de formação, não consegue manter uma regularidade. Agora Luiz Felipe Scolari parece ter encontrado a formação que mais lhe agrada, mas mesmo assim o time ainda não apresenta o futebol que o torcedor gostaria. Além de ter que lidar com a pressão de sua própria torcida, o Brasil vai enfrentar um retrospecto negativo contra as seleções que estão em seu grupo, em partidas válidas pela Copa das Confederações, cujo aproveitamento é de 44,4%.

A estreia é no dia 15 de junho contra o Japão, em Brasília. O adversário vem crescendo, e muito, no cenário do futebol mundial e foi a primeira seleção a garantir vaga na Copa de 2014, com exceção do país-sede é claro. Os japoneses não são adversários que assustam, mas em Copa das Confederações nunca perderam para a seleção brasileira (mas também nunca ganharam). Em duas oportunidades foram dois empates. A primeira partida aconteceu em Kashima, o Japão jogava em casa e contava com o apoio da torcida, mas o jogo terminou sem gols. Já na Alemanha, as duas equipes voltaram a se encontrar e novamente ocorreu um empate. Desta vez 2 x 2 em Colônia, com gols de Nakamura e Oguro para o Japão, e de Robinho e Ronaldinho Gaúcho para os gols brasileiros.

Passada a estreia, o Brasil vai enfrentar o México, em Fortaleza. Nosso adversário mais conhecido, ao lado da Austrália, que está fora desta edição. Brasileiros e mexicanos já se encontraram três vezes em Copa das Confederações e los tricolores levaram a melhor em duas.
Em dezembro de 1997, na Arábia Saudita, Romário, Denílson e Junior Baiano deram a primeira, e única, vitória da seleção brasileira no confronto, 3 x 2, Blanco e Ramirez descontaram. Jogando a final do torneio em casa, no estádio Azteca, os mexicanos foram campeões diante do maior público da história da competição, 110000 pessoas assistiram México 4 x 3 Brasil. Zapeda (duas vezes) Abundis e Blanco garantiram o título. Serginho, Roni e Zé Roberto fizeram os gols brasileiros. Na Alemanha, em 2005, um novo triunfo mexicano. Borghetti anotou o tento da vitória por 1 x 0. A partida era válida pela 1ª fase e o Brasil acabou campeão.

No último jogo da fase de grupos a seleção vai a Salvador enfrentar a Itália. Este é o único duelo com retrospecto favorável. As duas equipes se encontram apenas uma vez, em 2009, na África do Sul, e levamos a melhor. O Brasil fez 3 x 0 pra cima da “Azurra”, com dois de Luís Fabiano e uma ajuda de Dossena, que fez contra. A seleção canarinha também foi a vencedora desta edição.

Jogando contra os adversários da primeira fase foram duas vitórias, dois empates e duas derrotas. O restrospecto não vai entrar em campo, mas ele mostra que o Brasil deve se preocupar da mesma forma com as três equipes que vai enfrentar, ainda mais passando por um momento de oscilação. Resta saber se a torcida vai ter paciência ou vai vaiar a seleção na primeira atuação ruim.