Decepcção também no atletismo

0
549

A quinta-feira, o 13º dia de competições das Olimpíadas de Pequim, também foi frustrante para outra modalidade. No salto triplo, o favorito Jadel Gregório obteve um tímido sexto lugar. “Não tenho como explicar o que aconteceu”, disse o atleta, chorando.

Tamanha tristeza tinha fundamento. Jadel chegou a Pequim como uma das estrelas brasileiras e muitos apostavam no lugar mais alto do pódio neste esporte. Com três medalhas de prata no currículo, duas em Mundial indoor (Budapeste-2004 e Moscou-2006) e uma em estádio aberto (Osaka-2007), ele, porém, não conseguiu repetir na China os bons resultados da temporada 2007, quando ainda ganhou a medalha de ouro no Pan do Rio.

O melhor salto do brasileiro na primeira parte da final foi de apenas 17,14m, que ele conseguiu melhorar para 17,20m na última tentativa, garantindo o sexto lugar. Ou seja, o resultado foi ainda pior do que o quinto lugar conquistado nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. A medalha de ouro ficou com o português Nelson Évora. A prata foi para o britânico Phillips Idowu, enquanto o bronze ficou com Leevan Sands, das Bahamas.

Para aumentar o desgosto da torcida brasileira, Évora cravou um salto de 17,67m., bem abaixo da marca alcançada por Jade no ano passado, na disputa do Grande Prêmio Brasil de Atletismo, em Belém. Naquela ocasião, ele bateu o recorde sul-americano e brasileiro do salto triplo com 17,90m.