Democratas tentam mais uma cartada para votar a reforma

0
549

Xavier BecerraDa Redação, com AP — A bancada dos democratas na Câmara Federal (House of Representatives) apelou para um recurso raramente usado, na quarta-feira (26), para forçar a votação do projeto de reforma imigratória estancado na Casa. Havia pouca esperança de que o recurso desse certo, mas a ação serviu para aumentar a pressão sobre os republicanos num ano de eleições.

“É hora de votar”, disse o deputado (representative) Xavier Becerra (D-Calif.), ao lado de dezenas de correligionários e ativistas pela reforma, lembrando também que fazia 273 dias que a reforma foi aprovada no Senado. Eles insitiam que os líderes republicanos da Casa deveriam agir.

De pé na escadaria do Capitólio, em Washington, e debaixo de uma neve fina, os promotores do recurso alegavam que já há votos suficientes na Casa para a aprovação do projeto de lei, que já está na pauta desde o ano passado.

Na quarta-feira, os democratas apresentaram uma petição para forçar a votação da lei, que precisava de 218 votos para ter efeito. A esforço tinha poucas chances de valer, já que os parlamentares republicanos não desafiariam a liderança do partido assinando petição, nem mesmo os que são favoráveis à reforma. No final do dia, a petição conseguiu as assinaturas de somente 149 dos 199 deputados democratas na Casa. Nenhum republicano assinou.

O partido republicano continua relutante em debater sobre o assunto num ano eleitoral, principalmente quando há sinais de que o partido deve obter ganhos significativos nas urnas em novembro.

Depois de meses falando em tom conciliatório, o presidente Obama divulgou uma nota louvando o esforço dos democratas e criticando os republicanos.

“A reforma imigratória é a coisa certa a fazer para nossa economia, nossa segurança e nosso futuro”, disse Obama. “A grande maioria do povo americano concorda com isso. A única coisa que impede a reforma é a teimosia dos republicanos no Congresso em não afinar-se com o resto da nação.”

O Senado passou uma lei em junho passado, mas ela parou na Câmara, controlada pelos republicanos.

O líder da maioria na Câmara (Speaker of the House), John Bohner (R-Ohio), junto a outras lideranças republicanas esboçou em janeiro uma lista de princípios que norteariam uma futura legislação sobre o assunto. Bohner afirma que a relutância republicana se deve à pouca confiança que o partido deposita no presidente no que se refere ao cumprimento da nova lei.

A relutância entre os deputados republicanos segue apesar de grupos econômicos, sindicatos e líderes religiosos serem todos favoráveis à uma reforma da lei imigratória. Além disso, o partido vê a reforma como uma anistia que prejudicaria os trabalhadores americanos.