Diminuem detenções de imigrantes não autorizados nos EUA

0
612

Queda da economia americana e maior vigilância em pontos chaves desincentivam indocumentados de cruzar a fronteira

DA REDAÇÃO COM AP — As detenções de pessoas nos Estados Unidos por violar as leis federais de imigração caíram ao mais baixo nível em 40 anos, como reflexo do decréscimo de tráfego de imigrantes não autorizados provenientes do México, divulgou o governo nesta quarta-feira (18).

Ao mesmo tempo, a quantidade de suspeitos registrados pelo Corpo de Sheriffs dos Estados Unidos por causa de crimes vinculados à imigração aumentou drasticamente, um indício de que os órgãos policiais estão sendo mais rigorosos.

Em um relatório, o Gabinete de Estatísticas Judiciárias disse que a quantidade de prisões relacionadas à imigração vem diminuindo continuamente. Chegou a 516.992 detenções em 2010, seu menor nível desde 1972. Alcançou 1,8 milhão em 2000.

“Provavelmente entre as razões deste decréscimo estão a debilitação da economia americana, maior estabilidade econômica em algumas áreas do México, maior vigilância dos Estados Unidos na fronteira e no interior do país, assim como a diminuição na taxa de natalidade no México”, disse Nestor P. Rodríguez, professor de Sociologia da Universidade do Texas.

“Por outro lado, as prisões efetuadas pelas autoridades federais por crimes contra as leis de imigração estão aumentando, sem dúvida em parte porque há mais determinação em aplicar a lei”, afirmou Rodríguez, que há décadas vem estudando a imigração de latinos e o impacto das políticas americanas sobre as comunidades de imigrantes.

Os suspeitos detidos pelo Corpo de Sheriffs por crimes federais de imigração subiram de 8.777 em 1994 para 82.438 em 2010. Durante um período de sete anos, concluído em 2010, o total de agentes de fronteira quase duplicou, passando de 10.819 para 20.558, informou o estudo.

A quantidade de mexicanos que cumprem pena em uma prisão federal por violações à lei de imigração aumentou de 2.074 em 1994 para 17.720 em 2010. Nove de cada 10 réus que têm problemas com a imigração e encontram-se em presídios federais foram declarados culpados de reingresso ilegal ou crimes por causa da entrada ilegal, enquanto 10% são culpados pelo contrabando de estrangeiros.

Mais de oito em cada 10 estrangeiros que podiam ser deportados em 2010 eram mexicanos. Uma parte cada vez maior dos estrangeiros que não atendem aos requisitos para viver nos Estados Unidos provém de países centro-americanos: 12% em 2010, um aumento significativo em comparação aos 3% registrados em 2002.