DNA liga homem a cinco estupros no condado de Palm Beach

0
587

O violento estuprador que tem atacado mulheres no condado de Palm Beach possui o mesmo DNA, de acordo com as evidências recolhidas no mais recente estupro

Os policiais confirmaram esta semana a conexão com o mesmo homem para cinco estupros consumados e estão oferecendo $10,000 de recompensa para quem fornecer informações que levem à sua prisão. “Sabemos que se trata da mesma pessoa, mas não temos maneira de identificá-lo”, disse a capitã Carol Gregg. “Todos devem ficar alertar. Não só as mulheres, os homens também.”

O estupro mais recente ocorreu por volta das 6:00 da manhã, no dia 23 de setembro, em Lake Worth. A vítima de 22 anos estava andando e ouvindo seu iPod a leste do condomínio Esperanza Apartments na área da 10th Avenue North e Florida Mango Road. Uma testemunha viu o estuprador vir por trás delas. A vítima lutou e até mordeu um dos dedos indicadores do homem. Raivoso, ele mordeu seu rosto duas vezes. E colocou o cotovelo e o antebraço no pescoço dela, provocando seu desmaio. Ela acordou sem roupas e sem uma pequena bolsa.

As vítimas descrevem o homem como um hispânico com um forte sotaque, cerca de 25 anos, entre 1m51 e 1m60, com cabelo curto ou rabo-de-cavalo. E também pode estar usando brinco.

O gabinete do sheriff divulgou em julho um retrato falado revisado de um homem que os detetives acreditam seja o responsável pelos primeiros quatro estupros em abril, julho e agosto de 2009 e em janeiro de 2010 – em Jupiter, Palm Springs, Lake Worth e West Palm Beach. As vítimas eram mulheres de diferentes etnias – brancas, asiáticas, hispânicas e de diferentes idades da faixa dos 20 aos 50 anos. Os estupros ocorreram entre 11:00 horas da noite e 8:00 da manhã e todas as vítimas foram espancadas. Algumas ficaram inconscientes e foram levadas ao hospital.

Outro estupro registrado em abril de 2011, atrás do Plush Pony Lounge em West Palm Beach, possivelmente esteja ligado ao mesmo homem. Seu nível de violência depende da reação da vítima. “Ele imediatamente começa a dar socos,” comentou a capitã.
Citando os 19 meses entre os dois últimos estupros, Carol Gregg pediu aos moradores para pensar se conhecem alguém que se encaixe neste perfil que esteja preso ou tenha deixado a região.

Quem tiver informações sobre este caso, deve ligar para Crime Stoppers, pelo telefone 1-800-458-TIPS (8477).