Dólar dispara no Brasil e mercado já o prevê a R$ 2,90

0
728

Durante a semana, no Brasil, o dólar acelerou a tendência de alta e pode alcançar em breve o patamar de R$ 2,90, na avaliação de analistas ouvidos pelo jornal Folha de S.Paulo.

O dólar à vista, referência no mercado financeiro, subiu na quarta-feira (11) pelo quarto dia seguido. A moeda teve valorização de 1,99% na sessão do dia, passando de R$ 2,823 para R$ 2,879. É o maior patamar desde 25 de outubro de 2004, quando fechou a R$ 2,889. Na máxima do dia, o dólar bateu R$ 2,882. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, encerrou o dia com alta de 1,33%, a R$ 2,874, maior valor também desde 25 de outubro de 2004. Na máxima, bateu R$ 2,883.

Para analistas, a velocidade de valorização da moeda vista nos últimos dias e a persistência dos fatores que pressionam o valor da divisa para cima podem fazer com o dólar alcance em breve o patamar de R$ 2,90.

“O ritmo da desvalorização do real preocupa, e não a desvalorização em si. O real está pressionado por fatores que provocam a desvalorização, principalmente internos. Mas o movimento está ocorrendo mais rápido que o imaginado pela falta de suporte político da presidente Dilma Rousseff para levar adiante o ajuste fiscal necessário para colocar as contas públicas em trajetória sustentável”, afirma Luciano Rostagno, estrategista-chefe do Banco Mizuho do Brasil.

A presidente encontra resistência inclusive na base governista para aprovar os ajustes fiscais necessários para trazer credibilidade à economia brasileira.

Na quarta-feira, o ministro Joaquim Levy (Fazenda) voltou a defender as medidas de ajuste nos gastos do governo federal ao afirmar que o reequilíbrio fiscal “é crucial para preservar as conquistas no campo da inclusão social já alcançadas”.