DOLPHINS CORNER: Dolphins confiam em um milagre

0
751

A vitória é o melhor psicólogo. A prova disto são os Dolphins. Agora tudo são sorrisos, brincadeiras, caras alegres. A estrela de sete derrotas seguidas em casa ficou para trás. Pensa-se até mesmo em um milagre.

O treinador Tony Sparano, que colocou sua casa à venda, e deve sair no final de temporada, lançou uns dardos. Vocês, jornalistas, veem o recorde da equipe como uma montanha, os jogadores o veem como uma colina. Ganhamos duas partidas seguidas e muitas cosas mudaram.

No vestiário, as caras eram de alegria: Brandon Marshall, Karlos Dansby, Matt Moore, Reggie Bush e os demais. Confiança, relaxamento, otimismo, felicidade. Isto é o que esperávamos fazer, disse o veterano Jason Taylor. Entramos numa série ganhadora e é preciso mantê-la. Agora a equipe define as partidas e vence.

Matt Moore, que completou 20 de 29 passes para 209 jardas com uma intercepção na vitória de 20-9 sobre os Redskins de Washington, está convertendo-se no quarterback que os Dolphins precisam. Entende-se bem com Marshall, Bush, Anthony Fasano, Davone Bess e os demais companheiros. Mesmo nos momentos em que estávamos 0-7, todos os companheiros tinham uma atitude positiva e estavam trabalhando duro, comentou Moore. Sabíamos que estava em nossas mãos mudar o rumo das coisas.

Nos últimos dois jogos, a defensiva dos Dolphins não permitiu touchdowns e Dansby foi um baluarte. Temos nos organizado melhor, disse o linebacker. Temos uma boa comunicação. Isto é o que fizemos nas duas últimas partidas realmente nas últimas três.

E Marshall reafirmou: Temos um grupo de homens lutadores, e de caráter. Agora colhemos os frutos.

Bess finalizou: Agora marcamos pontos e anotamos touchdowns. Temos ainda muito para melhorar na temporada.