Dupla corintiana, Guerrero e Pato mostra oportunismo

0
546

No duelo contra o Millonarios, foi um gol para cada lado

Um foi nada mais nada menos que herói do Corinthians no Mundial de Clubes. O outro, por sua vez, chegou em 2013 como grande estrela em uma transferência astronômica de R$ 40 milhões, vindo do Milan (ITA). Na primeira partida em que atuaram juntos como titulares, Guerrero e Pato foram certeiros. Um gol para cada lado vitória do Timão por 2 a 0, sobre o Millonarios (COL), na última quarta, no Pacaembu.

Com características até parecidas, por serem dois centroavantes de ofício, a dupla demonstrou bom entrosamento em campo na última quarta-feira (27). Eles se revezaram dentro da área e fizeram algumas triangulações. No final da partida, o peruano destacou a qualidade do parceiro. “Me senti muito bem com o Pato. É um cara que tem qualidade, fica até fácil de jogar com ele ali”, afirmou o camisa 9.

Guerrero ainda fez questão de destacar que durante os treinos já vem se dando bem com o camisa 7. No final da entrevista, até se empolgou ao lembrar de tantos bons atacantes que o Corinthians conta em seu elenco: “Nos treinamentos já vem dando certo. Mas posso fazer a parceria também com Sheik, com Romarinho, Jorge Henrique… Só favorece o Corinthians um elenco assim. Queremos ganhar tudo esse ano”, completou.

Liminares

O Corinthians não teme represálias da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por conta da entrada de quatro torcedores que conseguiram liminares e assistiram à vitória por 2 a 0 sobre o Millonarios, da Colômbia, nesta quarta-feira (27), no estádio do Pacaembu, mesmo com a decisão da entidade de vetar a Fiel por, pelo menos, 60 dias.

O órgão puniu o clube porque torcedores corintianos foram responsabilizados pela morte do jovem Kevin Espada, de 14 anos, em jogo do Timão contra o San José, em Oruro, Bolívia. O diretor jurídico do Timão, Luiz Alberto Bussab, confia no respaldo da Polícia Militar para provar que a decisão de permitir o ingresso do quarteto ao local não foi decisão do Corinthians. A Conmebol deve se pronunciar sobre o assunto.

Principal envolvido nas discussões com a Conmebol nos últimos dias, Bussab afirmou que os policiais incluirão em seu relatório sobre a partida que a justiça brasileira foi a única responsável pela quebra da punição, uma vez que o Timão nada podia fazer a não ser acatar e abrir uma exceção para os quatro torcedores em questão.