Eleições em Deerfield Beach provocam polêmica na comunidade brasileira

0
1170

Leitores protestam contra apoio de Coalizão a candidata americana, em detrimento a Jimmy Albuquerque

A redação do AcheiUSA foi ‘bombardeada’ por e-mails de protesto de brasileiros contra a decisão da Brazilian American Coalition, que optou por apoiar uma americana na eleição para commissioner de Deerfield Beach, que acontece no dia 10 de março. O pernambucano Jimmy Albuquerque é um dos postulantes ao cargo e sentiu-se traído pela entidade por motivos pessoais, mas o presidente da Coalizão, Claudio Pereira, argumentou que Donna Capobianco é a candidata mais indicada para defender os interesses da comunidade.

“Brasileiros sem união. É assim que devo chamar nossa comunidade. Fui à reunião em Deerfield Beach e gostei do que vi e ouvi. Mas fiquei surpresa ao saber que o candidato brasileiro Jurandir Albuquerque, embora tenha sido aplaudido e foi o único a comparecer, não teve o apoio da Brazilian Coalition”, escreveu a brasileira Alessandra Souza, referindo-se ao encontro realizado na Igreja Católica, no início de fevereiro. Jimmy respondeu às perguntas formuladas por membros do conselho diretor da coalizão naquela oportunidade, enquanto que seus adversários políticos preferiram participar de uma sabatina somente com os líderes da entidade.

“Consideramos que Donna Capobianco é a melhor para a comunidade brasileira e, mais importante, para a população de Deerfield Beach”, atestam na carta de apoio os diretores da Coalizão Brasil-Estados Unidos, assinada por Claudio Pereira, Alberto Avila, Darren Covar, Fabiana Covar, Heder Auler e Renee Martinez. “O processo foi democrático e todos os candidatos tiveram chance de expressar suas idéias ao nosso grupo, seja na reunião aberta à comunidade, seja em encontros com nossa diretoria”, garantiu o presidente da associação.

Não é o que pensa Jimmy. Para ele, pesaram questões pessoais na escolha. “A opção não reflete o desejo dos brasileiros. A outra candidata jamais fez qualquer movimento em favor da nossa comunidade”, lamentou o pernambucano, que criou a primeira imobiliária brasileira com financeira na Flórida e editou a primeira revista do setor em português em território americano. Ele é o presidente da HL Help Center, uma organização que ajuda moradores sem-teto a encontrar emprego e retomar o rumo em suas vidas.

O sentimento de Jimmy foi compartilhado por muitos brasileiros, que sonhavam em ter o primeiro brasileiro da história como comissioner (vereador) de Deerfield Beach (veja trechos de cartas enviadas ao AcheiUSA). Além dele e Capobianco, concorre também à reeleição ao cargo o candidato Martin Popelsky. A cidade tem aproximadamente 80 mil habitantes e, segundo dados extra-oficiais, os brasileiros representam pelo menos 20% deste total. A representatividade em termos de negócios é ainda maior: pelo menos 40% das empresas e estabelecimentos comerciais de Deerfield Beach pertencem a brasileiros.

Trechos de cartas enviadas ao AcheiUSA

“A candidata americana nunca fez nada pelos brasileiros e nem quis comparecer ao debate. Ainda assim foi apoiada pelos que se dizem representantes da comunidade brasileira, um grupo que quer desacreditar não somente nosso candidato brasileiro, mas também nossa comunidade. O apoio não reflete meu pensamento e tenho certeza que também não reflete o de muitos outros brasileiros que têm inteligência e sabem usar”, Alessandra Souza

“Um fato absurdo está acontecendo em nossa desavisada comunidade que não parece estar consciente da importância de se eleger um brasileiro como commissioner em Deerfield Beach.
Peço encarecidamente que vocês abram espaço no jornal para divulgar este assunto. Sei que muitos brasileiros leem o jornal”, Sandra Paes

“Um grupo formado por cinco pessoas está soltando informações aos jornais, apresentando-se como representantes da comunidade brasileira. A meu ver, eles deveriam, inclusive, ser processados por dizer que nos representam. Gostaria de pedir aos jornais que publiquem uma matéria mostrando que esse grupo, que tem como um dos dirigentes um americano, é anti-brasileiro, porque qualquer um em seu juízo perfeito daria total apoio a um candidato brasileiro”, Cambruzio Zimboski

“A comunidade brasileira precisa de alguém que nos represente com integridade. Uma  pessoa que fale a nossa língua e conheça as  necessidades de nossa comunidade. Devemos pensar quanto é positivo poder relacionar o nome do nosso candidato ao seu comportamento em comunidade. Este deve ser um participante ativo”, Bella Ferreira