Eleições estaduais decidem novo governador da Flórida no dia 4 de novembro

0
1416

Entidade tenta conscientizar sobre a necessidade do voto dos brasileiros, que representam 0.11% do eleitorado americano

DA REDAÇÃO JOSELINA REIS

DIVULGAÇÃO
Eleições estaduais decidem novo governador da Flórida no dia 4 de novembro

Rick Scott (R) e Charlie Crist (D)

A escolha para o novo governador da Flórida acontece na terça-feira (4 de novembro), quando aproximadamente 10 milhões de pessoas deveriam votar no estado para escolha do novo governador. No entanto, como o voto não é obrigatório como no Brasil, a expectativa é que o número de votantes fique pelo menos próximo à estatística das eleições 2012, para presidente, quando 8.4 milhões foram às urnas na Flórida.

A briga pela cadeira de governador está entre Rick Scott (R) e Charlie Crist (D), sendo que as últimas pesquisas mostram Crist poucos pontos a frente do atual governador, Scott. Os números divulgados na quinta-feira (30) mostra Charlie Crist com 43% das intenções de voto, contra 40% para Rick Scott. Entretanto, a diferença estaria dentro da margem de erros, e por isso os dois estariam empatados tecnicamente.

Crist já foi governador da Flórida entre 2003 e 2007, e Rick Scott termina seu primeiro mandato.

O que chamou a atenção dos pesquisadores foi a mudança do eleitores que se identificam como independentes, não simpatizantes do partidos Democrata e ou Republicano. Aparentamente, pode estar nas mãos deles a decisão das eleições 2014 para governador. Na última pesquisa, Charlie Crist mostrou ser o preferido por esse grupo, levando 47% dos votos dos independentes, enquanto Rick Scott conseguiria apenas 29%.

Brasileiros
“Nós vivemos aqui. Nada mais correto que votemos aqui e lutemos para a melhoria da qualidade de vida no país que nos dá o pão de cada dia”, comenta a brasileira e ativista política, Isabel Santos, fundadora do Brazilian-American Group. A entidade foi criada para esclarecer e conscientizar os brasileiros que moram nos EUA a participarem ativamente na política americana.

Até agora, conta Isabel, os brasileiros fazem parte das estatísticas de eleitores latinos e diferente dos eleitores que falam espanhol, eles não têm nenhum representante na política local. “Temos condições para chegar ao ponto de eleger brasileiros, mas temos que mostrar primeiro que nosso voto tem força”, conta a ativista.

De acordo com dados do USA Census 2012, os brasileiros representam 0.11% do eleitorado americano, com 371.529 votantes. Na Flórida não é possível saber quantos votam ou estão aptos a votar.

Eleições 2014
Nos Estados Unidos o eleitor tem a opção (se quiser votar) de votar antecipado pelo correio (prazo já terminou) e no dia da eleição, no local indicado no seu título de eleitor.

Além de escolher o próximo governador, o eleitor também precisa dar sua opinião em três emendas constitucionais e opinar em questões regionais.

As três emendas são:
— Preenchimento de vagas para juízes. Os favoráveis acreditam que a emenda poderá ajudar o governo a preencher vagas mais rapidamente, enquanto outros eleitores acreditam que isso possa facilitar a inclusão de ‘pessoas favorecidas’ em cargos públicos que têm altos salários.

— Conservação da Água e Recursos Hidrícos. O governo quer mais dinheiro para investir na preservação de mananciais e áreas alagadas. Já os pessimistas acreditam que o dinheiro destinado pelos cofres públicos é suficiente, e o governo está tentando apenas conseguir mais dinheiro para possível desvio de verba.

— Legalização da maconha para fins medicinais. Sem dúvida a mais polêmica emenda constitucional dos últimos tempos na Flórida. A batalha entre os favoráveis e os contrários à legalização da maconha travam uma guerra pública há meses em torno do assunto. Alguns acreditam que a nova lei pode dar margem para a venda indiscriminada da maconha no estado, enquanto outros esperam ansiosamente pelo novo negócio que pode render milhões na venda de medicamento para pessoas que sofrem de doenças crônicas.