Estados Unidos batem recorde de deportações de imigrantes em 2012

0
708

ICE continua afirmando que o foco é deportar os criminosos e não gastar recursos com indivíduos de baixa prioridade

Joselina Reis

O ano de 2012 terminou com a divulgação do maior número de deportações da história dos Estados Unidos. Ao todo 409.849 imigrantes foram deportados no ano passado contra 396.906 em 2011. Desde 2008 os números do ICE (polícia de imigração) não param de crescer, para ser mais exato, a cada ano pelo menos outras 10 mil pessoas engrossam as filas dos aeroportos voltando para seus países de origem, não do jeito que imaginavam, mas de algemas e com a possibilidade de nunca mais poderem voltar aos EUA.

Segundo informações do ICE, o foco é a remoção de criminosos e outros indivíduos considerados de alta prioridade. No entanto, muitas histórias de deportação mostram que nem sempre os casos seguem essa regra.

Ester Pereira, uma das coordenadoras do Centro de Assistência ao Imigrante (CAI), conta que tem visto muitos casos que não são exatamente como o ICE divulga. Ela cita o exemplo de um brasileiro que entrou nos Estados Unidos com passaporte português, mas como a permanência de três meses venceu e ele continuou no país foi deportado por dirigir sem carteira. “Geralmente são pessoas simples, que os advogados não investem tempo para ajudá-los, ficando apenas com o dinheiro”, disse a coordenadora.

Ela conta ainda que, a dificuldade que os imigrantes ilegais encontram, mesmo não sendo pessoas de alta prioridade ou criminosos, é a falta de fiscalização das ações do próprio ICE. “O que eu aconselho a todos é reclamar até ser ouvido, porque nós conhecemos histórias absurdas de abuso e não temos a quem recorrer”, desabafa Ester.

A coordenadora conta ainda outro caso em que uma denúncia levou o ICE até a porta de um casal brasileiro. O marido, que havia entrado pela fronteira com o México foi preso e deportado enquanto a esposa grávida ficou na Flórida. Como esta família, lembra Ester, outra também está sendo ajudada pelo CAI porque o pai foi deportado deixando mãe e filhos para trás.

A entidade oferece orientação gratuita aos imigrantes que estão esperando processo de deportação, às famílias que foram separadas, ficando para trás enquanto familiares foram enviados repentinamente de volta ao Brasil, e aqueles que estão em processo de legalização. Os brasileiros que precisarem de ajuda podem contatar o CAI pelo email IACflorida@yahoo.com.

Em 2012 o AcheiUSA foi procurado por várias famílias que denunciaram abusos da polícia de Broward que estaria fazendo trabalho do ICE.

ICE

Ainda no relatório divulgado na véspera de Natal, o ICE fez questão de afirmar que os agentes vão focalizar suas ações nos indivíduos que se enquadram dentro dos critérios de alta prioridade e restringir o uso da força policial em casos de pessoas acusadas de delitos de menor importância como problemas de trânsito. Esse tipo de ação seria uma maneira efetiva de utilizar o dinheiro público. O mesmo valeria para o programa Comunidade Seguras.

As estatísticas divulgadas pelo ICE revelam que das 409.849 pessoas retiradas do país em 2012, 55% ou 225.390 eram criminosos convictos de alta ou baixa periculosidade. Nesse número estão incluídos os casos de assassinos, traficantes de drogas e motoristas que dirigiam bêbado. No entanto, o relatório não menciona no que se baseou a prisão e deportação dos 45% restantes dos imigrantes retirados do país.

A secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano, afirmou que a nova política de prisão de imigrantes é manter o foco naqueles indivíduos com ficha policial e que o trabalho do ICE com a Patrulha de Fronteira (Border Patrol nome em inglês) vai continuar atuando rapidamente para removê-los do país.

IMIGRAÇÃO EM DIA

sta semana, o advogado Max Whitney, com escritório em Deerfield Beach, responde às perguntas de um brasileiro sobre voluntary departure.

Envie suas perguntas sobre imigração para ou editor@acheiusa.com. As perguntas serão respondidas e publicadas nas edições do AcheiUSA na medida do possível.

Estou com algumas dúvidas sobre a partir de que data começa a contar os 10 anos do voluntary departure. Segue abaixo minhas perguntas:

A data de ilegibilidade para solicitação de visto (10 years bar) começa quando expira a concessão dada (31 /Jan./2003) ou quando ele realmente saiu (30 /Dez./2007)?
Mesmo não entregando o I 94 no aeroporto, fica registrado na imigração a saída do estrangeiro ?
Caso seja a partir da data de expiração da concessão (31 /Jan./ 2003) ele(a) poderá solicitar um novo visto a partir de 01 de Fevereiro de 2013 ?
O registro é apagado após os 10 anos, ou eles sempre saberão que o estrangeiro(a) não partiu na data concedida ?

Por ironia do destino, nesse período de 04 anos após a concessão dada, o estrangeiro(a) conseguiu alguns documentos que corroboram para que ele(a) consiga um novo tipo de visto, caso ele apresente esses documentos, ele(a) estaria dando provas de ter ficado mais tempo do que foi concedido e então a data dos 10 years bar começaria a partir da data deste documento?

1) A data de ilegibilidade para a solicitação do visto deverá contar a partir de 31 de Janeiro de 2003. Porém os consulados geralmente interpretam que a intenção da lei sempre foi a data que o estrangeiro realmente saiu dos EUA.
2) A saída do estrangeiro ficará registrada mesmo se a I-94 não for entregue. Os manifestos (listas de passageiros) de todos os voos internacionais são enviados para a imigração.
3) Sim, ele poderá solicitar um novo visto a partir de 01 de Fevereiro de 2013. Porém será difícil o visto ser concedido mesmo após o cumprimento da suspensão de 10 anos.
4) O registro nunca será apagado. As autoridades americanas sempre saberão que o estrangeiro partiu além do período autorizado.
5) Não, a data da suspensão de 10 anos deverá contar a partir de 31 de Janeiro de 2003. A obtenção de documentos que poderiam apoiar um outro tipo de visto não anulam os requerimentos da Ordem de Saída Voluntária. A suspensão de 10 anos tem que ser cumprida antes do estrangeiro aplicar para qualquer tipo de visto.